Nacional

Governador do Pará nega tortura em presídios e defende Moro de acusações

Publicado

source
Moro e Helder Barbalho arrow-options
Reprodução/ Facebook

Moro e Helder Barbalho se reuniram em janeiro


O governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), disse que a ação do Ministério Público Federal (MPF) que denuncia práticas de tortura nos presídios sob intervenção federal contém afirmações “inverídicas”. Barbalho defendeu a atuação da força-tarefa autorizada pelo ministro da Justiça, Sergio Moro , para comandar 13 presídios no estado e afirmou que o Estado do Pará ingressou como parte interessada na ação judicial que resultou no afastamento do coordenador da força-tarefa, o agente penitenciário Maycon Cesar Rottava.

Leia também: Pará: chefe da força-tarefa é afastado por maltratar detentos

Segundo o governador, o Estado apoia a posição do governo federal de defender o retorno de Rottava ao cargo, por meio de um recurso da Advocacia-Geral da União (AGU) contra a decisão judicial que falou de tortura .

A ação de improbidade administrativa é assinada por 17 dos 28 procuradores da República que atuam no Pará. Os procuradores levaram em conta depoimentos de presos colhidos dentro do MPF, depoimentos de mães e companheiros de detentos, inspeções feitas pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e por entidades de direitos humanos, depoimentos de agentes penitenciários estaduais, inspeção do Mecanismo Nacional de Combate à Tortura (vinculado ao Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos), vídeos e fotos com registro da suposta tortura. O juiz federal Jorge Ferraz Júnior enxergou motivos suficientes para atender ao pedido do MPF e afastar cautelarmente o agente do cargo de coordenador.

Leia mais:  Em vídeo, Aras orienta ao MPF contribuir para o desenvolvimento da economia

“O presídio do Pará , antes dessas mudanças, era dominado por essas facções criminosas, que estabeleciam um poder paralelo. Agora é o Estado que domina os presídios. E o que nós fazemos em regra geral é estabelecermos nos presídios do Pará os mesmos procedimentos e protocolos dos presídios federais”, afirmou o governador.

Leia também: Corpo sem cabeça é achado em matagal com mãos amarradas, no Pará

Segundo ele, houve um “asfixiamento” de facções criminosas no estado, a partir da atuação da força-tarefa do governo federal. Não há comprovação de casos de tortura, na visão do governador.

A ação do MPF descreve relatos de empalamento; perfuração de pés de presos por pregos; obrigação de permanecer agachados por manhãs e tardes inteiras; disposição de mulheres nuas em cima de formigueiros e de urina e fezes de rato; balas de borracha e spray de pimenta atirados a esmo; privação de água, comida e de permissão para necessidades fisiológicas; obrigação de automutilação do pênis, entre outros relatos e constatações das vistorias feitas. Funcionários da Justiça relataram que usam máscaras diante do mau cheiro dos detentos, quando eles comparecem às varas para depoimentos. O MPF disse ter sido impedido de entrar nas unidades prisionais.

Leia mais:  Motorista estaciona em local proibido e tem veículo “trancado” por carrinhos

Servidores do sistema prisional no estado fizeram o seguinte relato: “Havia tortura? Havia sim, mas era pontual, isolado. Depois da intervenção federal, é generalizado. O servidores não estão conseguindo dormir. Os gritos ficam na nossa cabeça. Parece que fizeram uma seleção de psicopatas, e deram o direito a eles de se regozijarem nos presos.” Para determinar o afastamento do coordenador da força-tarefa, o juiz Ferraz Júnior justificou: “Embora não conste dos autos elemento que indique que ele tenha executado diretamente os supostos atos de abuso de autoridade, tortura e maus tratos, há indícios de que, por sua postura omissiva, tenha concorrido para sua prática.”

A força-tarefa no Pará foi autorizada por Moro em 30 de julho, em atendimento a um pedido de Barbalho. Naquele dia, um massacre num presídio em Altamira (PA) terminou com a morte de 62 presos. Um novo ato de Moro prorrogou a atuação da força-tarefa até o fim deste mês. O grupo atua em 13 presídios, a exemplo do que ocorre em outros quatro estados.

Fonte: IG Nacional
Comentários Facebook
publicidade

Nacional

Bombeiros, PM e Samu trabalham nos escombros do prédio, diz governador do Ceará

Publicado

source
Camilo Santana arrow-options
Divulgação

Camilo Santana (PT) se pronunciou sobre o desabamento do prédio de sete andares através das redes sociais.

O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), se pronunciou nas redes sociais após o desabamento de um prédio de sete andares em Fortaleza na manhã dessa terça-feira (15). Após tomar conhecimento do acidente, o político cancelou sua agenda oficial e está retornando para a capital cearense.

Leia também: Assista ao exato momento em que o prédio desabou em Fortaleza

Na postagem feita no Facebook, Santana diz que determinou o uso da força total dos Bombeiros , Samu, Polícia Militar e outros órgãos que possam ajudar na busca e no resgate das vítimas. Confira o comunicado: 



Leia também: Pedidos de socorro são escutados nos escombros de prédio em Fortaleza; assista

O prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT) esteve no local do desabamento durante o fim da manhã e auxiliou no resgate das vítimas.

Leia mais:  Após trair esposa, homem “pira” e coloca fogo no carro como pedido de desculpas


O edifício desabou por volta das 10h30 da manhã. Ainda não se sabe quantos apartamentos havia por andar. Ao menos seis equipes do Corpo de Bombeiros estão no local, além de viaturas da Polícia Militar e de agentes da Defesa Civil. As equipes de resgate usam cães farejadores, drones e uma plataforma mecânica que possibilita uma visão elevada.

Fonte: IG Nacional
Comentários Facebook
Continue lendo

Nacional

Cachorro é resgatado dos escombros após prédio desabar em Fortaleza

Publicado

source
cachorro arrow-options
Reprodução/O Globo

Cachorro foi resgatado com vida dos escombros

Imagens do resgate após um prédio desabar em Fortaleza , na manhã desta terça-feira (15), mostram o momento em que um cãozinho foi salvo pelos bombeiros. O cachorro aparece sendo retirado dos escombros pela equipe de emergência.

Leia também: Assista ao exato momento em que o prédio desabou em Fortaleza

Uma usuária do Twitter relatou em seu perfil que a namorada de seu primo não estava no prédio, onde morava com a família, no momento do desabamento. A autora do post, Jamylle Duarte, disse que não havia outras pessoas da mesma família no apartamento, apenas estava o cachorro deles.

O edifício de sete andares ficava na esquina da Rua Tomás Acioli com a Rua Tibúrcio Cavalcante, no bairro Dionísio Torres. Segundo o Corpo de Bombeiros, até o momento,  uma pessoa morreu  e outras cinco foram resgatadas com vida do local.

A estimativa é de que 10 a 15 pessoas estejam sob os escombros, mas não há informações ainda de quantos animais estavam no edifício.

Leia mais:  Motorista estaciona em local proibido e tem veículo “trancado” por carrinhos

Ainda não se sabe quantos apartamentos havia por andar. Ao menos seis equipes do Corpo de Bombeiros estão no local, além de viaturas da Polícia Militar e de agentes da Defesa Civil. As equipes de resgate tê o auxílio de cães farejadores , drones e uma plataforma mecânica que possibilita uma visão elevada para fazer as buscas.

O Corpo de Bombeiros pediu para que todos os moradores da região deixassem suas residências, pois há risco de explosões devido a um possível vazamentos de gás, além do risco de choque elétrico por conta de cabos de energia espalhados pela rua.

Leia também: Pedidos de socorro são escutados nos escombros de prédio em Fortaleza; assista

O governador do Ceará, Camilo Santana, cancelou agenda que cumpriria em Brasília e vai retornar ao estado para acompanhar o trabalho de resgate no local.

Fonte: IG Nacional
Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Polícia MT

Mato Grosso

Política MT

Política Nacional

Economia

Mais Lidas da Semana