Policia Federal

PF e CGU combatem irregularidades na prestação de serviço à unidade de pronto atendimento

Publicado

Porto Alegre/RS – A Polícia Federal e a Controladoria-Geral da União (CGU) deflagram nesta quarta-feira (9/10) a Operação Autoclave, que apura supostas irregularidades na prestação de serviço por uma organização social (OS) em contrato firmado para atuação em uma Unidade de Pronto Atendimento no município de São Leopoldo.

Cerca de 50 policiais federais e cinco servidores da CGU cumprem 11 mandados de busca e apreensão nas cidades de Porto Alegre (4), São Leopoldo (5) e Venâncio Aires (2).

Conforme a investigação, iniciada em julho de 2018, a organização social não estaria fornecendo todos os serviços estabelecidos em contrato e não cumpria a obrigação de prestar contas de forma adequada. Desde que a OS foi contratada, em março de 2017, o valor total recebido foi de aproximadamente R$ 21 milhões. Durante a execução, várias falhas na prestação do serviço foram apontadas ao gestor do contrato pela Comissão de Fiscalização e pelo Tribunal de Contas do Estado e, mesmo assim, houve renovação em novembro de 2018.

Leia mais:  Operação Alba Virus combate o tráfico internacional de entorpecentes

As informações coletadas no inquérito policial indicam a possibilidade de que a organização social investigada mantenha contatos espúrios com representantes municipais, que podem indicar favorecimento em certames ou prejuízos à competitividade de licitações em outras cidades do Rio Grande do Sul e de outros estados.

A Operação Autoclave apura crimes da Lei de Licitações, peculato e associação criminosa.

Fonte: Polícia Federal
Comentários Facebook
publicidade

Policia Federal

PF fecha setembro com mais de 6 toneladas de cocaína apreendidas no MS

Publicado

Campo Grande/MS – A Polícia Federal fechou a contabilidade do total de cocaína apreendida neste ano até o dia 30 de setembro: 6, 27 toneladas da droga apreendidas em todas as unidades da PF no Estado do Mato Grosso do Sul. O dado inclui ocorrências levadas às unidades da PF pela PRF e pela PM. No ano passado, no mesmo período de janeiro a setembro, foram apreendidas 3,31 toneladas de cocaína.

Enquanto a cocaína apreendida este ano é quase o dobro da quantidade do ano passado, este mês a maconha chegou perto dos números do ano passado. Até o mês de agosto, a quantidade de maconha apreendida foi bem menor que a do ano passado. Até o fim de setembro passado, foram apreendidas 61,03 toneladas, frente as 66 toneladas do ano passado no mesmo período.

 

Drogas apreendidas no MS(Inclui ocorrências da PF e da PRF)
____
2019 – até 31/9
COCAINA – 6,27 ton
MACONHA – 61,03 ton
____
2018 – até 31/9
COCAÍNA – 3,31 ton
MACONHA – 66,63 ton
____
2018
COCAINA – 4,13 ton
MACONHA – 84,63 ton
____
2017
COCAINA – 3,12 ton
MACONHA – 162,75 ton
____
2016
COCAÍNA – 3,72 ton
MACONHA – 83,45 ton
____
2015
COCAÍNA – 4,47 ton
MACONHA – 71,57 ton
____
FONTE: SEC/DRCOR/PF/MS

Leia mais:  Operação Quatro Eixos combate o tráfico de entorpecentes e de armas de fogo

 

Comunicação Social da Polícia Federal no Mato Grosso do Sul

Contato: (67) 3368-1105

E-mail: cs.srms@dpf.gov.br

 

Fonte: Polícia Federal
Comentários Facebook
Continue lendo

Policia Federal

PF combate difusão de arquivos contendo exploração sexual de crianças

Publicado

Vila Velha/ES – A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira, 15/10, a Operação MÉTIS, com objetivo de combater a difusão de arquivos contendo exploração sexual de crianças, por meio da internet.

Cerca de 21 policiais federais cumpriram 4 mandados de busca e apreensão nas residências dos investigados no Município de Vitória. Três pessoas foram presas em flagrante em razão de terem sido encontrados arquivos contendo exploração sexual e pornografia de crianças e adolescentes. Tal conduta configurou o crime de posse disposto no art.241-B do Estatuto da Criança e do Adolescente.

ENTENDA O CASO

Em face de rastreamento da rede mundial de computadores promovido por policiais federais, foram detectados usuários compartilhando arquivos com o conteúdo supracitado, durante as investigações.

O inquérito policial foi instaurado com trabalho permanente de vigilância na rede mundial de computadores. Foi verificado ao todo, somado os quatro investigados, um total de 894 arquivos compartilhados na internet, contendo exploração sexual e pornografia de crianças e adolescentes, apenas durante o período investigado.

No cumprimento do mandado de busca, foram apreendidas diversas mídias dos investigados, que serão submetidas à perícia para elaboração de laudo, com o fim de identificar os arquivos desta natureza armazenados e compartilhados, se existe algum indicativo de abuso sexual e se existe outros suspeitos praticando o delito.

Leia mais:  PF combate e a extração ilegal de minérios em Rondônia

CRIMES INVESTIGADOS

Os investigados, responderão pelos crimes de compartilhamento de arquivos contendo pornografia infantil, presente no art.241-A da Lei 8.069/90, com pena que varia de 2 a 6 anos de reclusão. Poderão ainda responder pelo crime de posse de arquivos, no caso de flagrante, presente no art.241-B, cujas penas variam de 1 a 4 anos de reclusão.

 DO NOME DA OPERAÇÃO

Métis (em grego: Μήτις, transl.: Métis, “habilidades”), na mitologia grega, é a deusa da saúde, proteção, astúcia, prudência e virtudes.

 

Fonte: Polícia Federal
Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Polícia MT

Mato Grosso

Política MT

Política Nacional

Economia

Mais Lidas da Semana