Polícia MT

Polícia invade churrasco e prende acusado de pistolagem em MT.

Publicado

Um foragido da Justiça, apontado como pistoleiro na cidade de Colniza (a 1.090 km de Cuiabá), foi preso pela Polícia Civil com apoio da Polícia Militar, na tarde do último domingo (3). A ação integrada foi realizada com objetivo de dar cumprimento a um mandado de prisão contra ele.

Com diversas fichas criminais, M.S., de 32 anos, estava com a ordem de prisão preventiva decretada e foi surpreendido pelos policiais civis e militares durante um churrasco com amigos.

O suspeito era investigado por atuar como pistoleiro no Município de Colniza e responsável por vários homicídios ocorridos na região.

Após denúncia anônima sobre o paradeiro de M.S., os investigadores iniciaram as diligências para apurar as informações. Durante averiguação, foi identificado um endereço, onde estava ocorrendo o churrasco.

Foi solicitado apoio operacional aos policiais militares, que junto com os policiais civis foram até o imóvel, na localidade denominada Poção.

Na ocasião, foi feito monitoramento do local e constatada a presença de M.S.. As equipes aguardaram o momento para abordagem, feita algumas horas depois. Na residência, M.S. foi encontrado na companhia de outros homens, os quais também foram encaminhados para checagens.

Leia mais:  Polícia Civil fecha boca de fumo comandada por idoso em Nova Xavantina

Na Delegacia de Colniza, os conduzidos foram ouvidos pelo delegado Henrique Madureira Espíndola de Barros e posteriormente liberados.

Já M.S. foi preso em cumprimento ao mandado de prisão, e em seguida colocado à disposição do Poder Judiciário.

Fonte: CircuitoMT

 

Comentários Facebook
publicidade

Polícia MT

Suspeito com várias passagens é preso com R$ 2,3 mil furtado de interior de veículo

Publicado

Assessoria | PJC-MT

Um dos autores de um furto qualificado ocorrido em Várzea Grande foi preso, na manhã desta quarta-feira (04.12), horas depois do crime, em ação da Polícia Judiciária Civil, realizada por meio da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) do município.

Com várias passagens pela polícia e monitorado por tornozeleira eletrônica, Douglas Junior Santos, 27, foi autuado em flagrante pelos crimes de associação criminosa e furto qualificado mediante concurso de pessoas e fraude.

As diligências iniciaram na tarde de terça-feira (03), após o furto cometido no interior de um veículo Hilux., ocasião em que vítima deixou a caminhonete no estacionamento de uma empresa na Avenida da Feb,

Ao retornar ao veículo, a vítima constatou que a Hilux estava com as portas destravadas e o interior do veículo todo revirado, sendo subtraído a quantia em dinheiro de R$ 6,2 mil, uma bolsa com roupas, uma impressora digital avaliada em cerca de R$ 2,6 mil e um notebook da marca Sony avaliado em torno de R$ 2,6 mil.

Leia mais:  Ação ‘Saúde em Dia’ acontece na segunda-feira (26) na Diretoria Geral

Iniciadas as diligências, os policiais da Derf-VG tiveram acesso as imagens captadas por câmeras de segurança do local, sendo possível identificar o momento em que três indivíduos se aproximam em um carro modelo Gol de cor branca.

Utilizando um dispositivo com controle remoto para desbloquear a trava do veículo, os suspeitos abriram a caminhonete e furtaram os objetos. Em checagem no sistema, foi verificado que o veículo utilizado no crime pertencia ao suspeito, Douglas Junior Santos, que também aparece nas imagens praticando o furto.

De posse das informações, os investigadores da Derf-VG lograram êxito em localizar o suspeito, que no momento da abordagem, usava a mesmas roupas mostradas no vídeo. Com ele, foi apreendido aproximadamente R$ 2,3 mil, referente a parte do valor furtado do interior da Hilux, além de três dispositivos de controle remoto (equipamento usado para bloquear sinal de trava de veículos) conhecido como “Chapolin”.

Diante do flagrante, o suspeito foi encaminhado para Derf-Várzea Grande e durante interrogatório, confessou a autoria do furto mediante o uso do dispositivo bloqueador de trava. O preso alegou que trabalha como motorista de aplicativo e encontra-se em liberdade condicional mediante uso de tornozeleira eletrônica, porém havia rompido o dispositivo há algum tempo.

Leia mais:  Polícia Civil fecha boca de fumo comandada por idoso em Nova Xavantina

Após a confecção dos autos, o autuado foi encaminhado para Cadeia Pública ficando à disposição da Justiça.

As investigações continuam com objetivo recuperar os produtos, identificar e prender os outros dois envolvidos no crime.

 

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia MT

Polícia Civil autua falso arquiteto por exercício ilegal da profissão

Publicado

Assessoria | PJC-MT

Um homem que atuava como arquiteto sem a devida formação para a função teve a atuação ilegal descoberta em trabalho integrada do Delegacia Especializada do Consumidor (Decon) e do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado de Mato Grosso.

O suspeito, C.S.S., de 36 anos, prestou esclarecimentos na Decon, na terça-feira (03.12), e responderá a Termo Circunstanciado de Ocorrência, por exercício ilegal da profissão, previsto no artigo 47 da Lei de Contravenções Penais.

O falso arquiteto passou a ser investigado após o Conselho de Arquitetura e Urbanismo receber várias denúncias de que o suspeito oferecia cursos online, em que ensinava pessoas a fazerem o projetos de arquitetura sem a necessidade de um profissional especializado na área.

Segundo as apurações, o investigado possuía um canal o Youtube e um site, onde oferecia os cursos do programa “Revit” pelo valor de R$ 99, afirmando que qualquer pessoa estava apta para montar um projeto. Nos vídeos, o investigado ensinava passo a passo de como mexer no programa.

Interrogado pelo delegado, Antonio Carlos de Araujo, o suspeito confessou que curso 6 semestres de arquitetura, porém não concluiu o curso na faculdade.

Leia mais:  Ação ‘Saúde em Dia’ acontece na segunda-feira (26) na Diretoria Geral

Ele afirmou que é professor de BIM (Modelagem da Informação da Construção) software programado para desenhos arquitetônicos, possuindo curso ofertado pela empresa fabricante do software.

Ficando evidenciada a atuação irregular, o falso arquiteto responderá a Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por exercício ilegal de profissão ou atividade (conforme Lei das Contravenções Penais – 3.688/41 – relativas à organização do trabalho).

 

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Polícia MT

Mato Grosso

Política MT

Política Nacional

Economia

Mais Lidas da Semana