AGRONOTÍCIA

Sete frigoríficos de Mato Grosso têm autorização para exportar carnes para a China.

Publicado

Dos 25 frigoríficos brasileiros que a China habilitou para que passem a exportar carne para o país asiático, sete são em Mato Grosso, sendo seis de bovinos e uma de aves e suínos. Com isso, o Brasil tem agora 89 plantas habilitadas. Até então só uma de bovinos no estado estava exportando para os chineses.

Duas unidades ficam no Norte do estado, nos municípios de Guarantã do Norte e Matupá. Outras duas indústrias no Oeste, em Barra do Bugres e Tangará da Serra, e uma outra em Várzea Grande e outra em Rondonópolis.

Além disso, um frigorífico de Lucas do Rio Verde também recebeu habilitação para exportar carne de frango e carne suína para a China.

“A China habilitando 25 frigoríficos pelo Brasil, sendo seis de bovinos em Mato Grosso, e esse anúncio veio incrementar o comércio de carne entre Mato Grosso e China, um país com 1,3 bilhão de habitantes e com uma grande demanda por proteína animal e Mato Grosso com um grande rebanho poderá se posicionar nesse comércio internacional”, disse o presidente do Instituto Mato-grossense da Carne (IMC), Guilherme Nolasco.

Leia mais:  Presidente Antonio Galvan avalia Missão USA da Aprosoja Brasil

O anúncio foi comemorado pela Associação Brasileira de Proteína Animal, já que até então somente plantas de Santa Catarina tinham autorização para fazer embarques de cortes suínos com osso para o mercado chinês.

O Ministério adiantou que essa exportação pode começar a qualquer momento. O mercado chinês e importante para a nossa carne. De acordo com dados do Instituto Mato-grossense da Carne, entre janeiro e agosto deste ano, Mato Grosso e exportou o equivalente a 97 milhões de dólares para a China, somente em carne bovina.

Em volume, o total chega a 19,5 mil toneladas de carne bovina desossada e congelada. Uma quantidade que é 35% maior que nos primeiros oito meses do ano passado.

A expectativa é de que com novas indústrias autorizadas a exportar para a China o mercado da carne fique mais movimentado até mesmo internamente. Isso vai trazer resultados para toda a cadeia desde quem cria o boi no pasto.

Fonte: G1

Comentários Facebook
publicidade

AGRONOTÍCIA

Agrocientista tem período de submissão ampliado até 4 de outubro

Publicado

Agrocientista tem período de submissão ampliado até 4 de outubro

Edital 02/2019 foi lançado em 16 de agosto para concessão de bolsas e auxílio à pesquisa

13/09/2019

O edital 02/2019 do Programa Agrocientista, realizado pela Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT) em parceria com o Fundo de Apoio à Cultura da Soja (Facs), teve o período de submissão ampliado até o dia 4 de outubro. O edital foi lançado no dia 16 de agosto.

A iniciativa tem por finalidade estabelecer as diretrizes para duas modalidades de auxílios concedidos para o desenvolvimento das culturas de soja e milho no Estado, a concessão de bolsas de estudo e o auxílio ao desenvolvimento de pesquisas.

Todas as informações necessárias podem ser obtidas no link http://www.aprosoja.com.br/aprosoja/projeto/agrocientista.

O programa visa a concessão, implementação e acompanhamento das Bolsas de Estudo e do auxílio para o desenvolvimento de pesquisas científica, tecnológica e/ou de inovação, de forma a promover e incentivar a formação de Recursos Humanos nas áreas voltadas para o desenvolvimento das culturas da soja e do milho em Mato Grosso.

Leia mais:  Sojicultores visitam Bolsa de Chicago e investigam desafios e oportunidades

 

Fonte: Ascom/Aprosoja-MT

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: comunicacao@aprosoja.com.br

Fonte: APROSOJA
Comentários Facebook
Continue lendo

AGRONOTÍCIA

Aprosoja alerta ALMT sobre impactos da APF à economia do Estado

Publicado

Aprosoja alerta ALMT sobre impactos da APF à economia do Estado

Reunião foi na quarta-feira com presença da Sema-MT

13/09/2019

Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT) participou de audiência sobre temas ambientais na Assembleia Legislativa de Mato Grosso. Na oportunidade, a secretária de Estado de Meio Ambiente, Mauren Lazaretti, prestou informações aos parlamentares acerca das ações desenvolvidas pelo Executivo estadual para a prevenção e combate a incêndios florestais. A reunião aconteceu na última quarta-feira (11).

Gerente de Política Agrícola da Aprosoja-MT, Thiago Rocha representou a entidade no encontro, que contou com a participação de parlamentares e do presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (Famato), Normando Corral.

Na oportunidade, o gestor da Aprosoja abordou um tema de relevância para os produtores e para a economia do Estado: a Autorização Provisória de Funcionamento (APF) e como seus bloqueios têm travado a obtenção de crédito para a atividade agrícola, bem como, os reflexos danosos que isso trará à economia mato-grossense em curto prazo, como ponderou. Vários parlamentares se mostraram sensíveis à situação, em especial o presidente da Casa de Leis, Eduardo Botelho.

Leia mais:  NOTA DE PESAR – Esperança Maria Galvan

Como sugestão, Rocha indicou que o Ministério Público e o Tribunal de Justiça do Estado sejam convidados a debater a questão no parlamento estadual, para que se busque uma solução conjunta para o impasse.

"Muitos produtores têm ficado sem a APF em virtude de divergências com as imagens de satélite. Há um caminho para questionar administrativamente os equívocos processuais. Porém, a Secretaria não consegue analisar os recursos a contento em virtude da alta demanda. Enquanto isso, o custeio e o investimento para a produção ficam comprometidos", disse o gestor.

Ele destacou ainda que a APF não é imprescindível para a gestão ambiental, já que por essência trata dos dados relativos ao uso do solo, o que já é contemplado pelo Cadastro Ambiental Rural (CAR).

"O Estado precisa focar suas ações no SIMCAR, isso certamente trará maior eficiência para o órgão. O embaraço burocrático não é bom para a economia, não é bom para o meio ambiente, tampouco para o social. Agricultores familiares estão sofrendo por não conseguirem acessar os recursos do Pronaf, por exemplo. O problema precisa ser enfrentado com urgência", asseverou o gestor.

Leia mais:  Aprosoja pede alteração no Regulamento do ICMS para facilitar construções compartilhadas

A partir das diretrizes traçadas pela Diretoria da Aprosoja-MT, o tema tem prioridade máxima para à entidade, pois compromete diretamente a atividade de milhares de produtores, sendo assim, as áreas técnica e institucional não pouparão esforços para encontrar uma solução para o problema.

 

Fonte: Ascom/Aprosoja-MT

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: comunicacao@aprosoja.com.br

Fonte: APROSOJA
Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Polícia MT

Mato Grosso

Política MT

Política Nacional

Economia

Mais Lidas da Semana