Nova Mutum

Apresentador Chico Tello não resiste e morre vítima da Covid-19 em Nova Mutum

Publicado

O apresentador  Claudiomiro Henrique Vieira (Chico Tello), 43 anos, do programa Balanço Geral na TV CIDADE em Nova Mutum, afiliada a RecordTV, não resistiu e veio a óbito na manhã desta  terça- feira (22), vítima da Covid-19.

Chico estava internado com a covid-19  em uma unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital   Regional Hilda Strenger Ribeiro desde o dia 03 de Junho.

No Boletim Médico divulgado nesta segunda-feira (21) os médicos apontavam que Chcio encontrava-se em estado grave, teve alterações com piora dos dias anteriores, apresentou hipotensão, gasometria e apresentou piora, os rins permaneceram alterados não respondendo à medicação, mantendo indicação de hemodiálise.  

Em breve mais informações:

Comentários Facebook
publicidade

Nova Mutum

Nova Mutum: grávida leva tiro na barriga, pernas e braços durante festa

Publicado

Uma grávida, identificada como V.S.S., 19 anos, foi ferida a tiros, na madrugada deste domingo (08), durante festa numa chácara de Nova Mutum (241 km de Cuiabá).

De acordo com o site local Power Mix, uma amiga da vítima relatou à PM que escutou pelo menos quatro disparos de arma de fogo e quando percebeu a jovem já estava com sangramento pelo corpo. No entanto, pelo menos 11 tiros acertaram a lateria de um carro.

Populares encaminharam V.S.S. ao Hospital Municipal de Nova Mutum. Ao atender a vítima, os médicos acionaram a Polícia Militar que atendeu a ocorrência.

A grávida tinha lesões nas pernas, braço direito e abdômen, porém, não corria risco de morte. Ela deu entrada na unidade consciente, mas não soube dizer de onde vieram ou quem fez os disparos. Ela não perdeu o bebê.

A Polícia Civil deve investigar o caso. Até a publicação da reportagem ninguém foi preso.

Fonte: Reporter MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Nova Mutum

Nova Mutum:Pai de criança morta já tinha denunciado ex e mulher dela à polícia e ao Conselho Tutelar

Publicado

Gustavo de Souza, pai do menino de três anos supostamente morto pela mãe Luana Marques Fernandes, de 25 anos, e pela companheira dela Fabíola Pinheiro Bracelar, 22 anos, já havia procurado a polícia e registrado um boletim de ocorrência denunciando as duas pelo crime de maus-tratos em Nova Mutum.

A madrasta de Davi Gustavo Marques de Souza, Evelin Marques, afirmou ao G1 que ela e o pai do menino procuraram também o Conselho Tutelar de Nova Mutum, onde o casal mora, mas foram informados que nada poderia ser feito e que eles teriam que ir até Nova Marilândia, a 261 km da capital, onde a mãe do menino mora.

Evelin conta que quando o menino quebrou a perna passou três meses morando com ela e com o pai.

“Ele tinha marcas de mordidas e hematomas pelo corpo. Nós perguntamos e ele disse que a companheira da mãe dele havia mordido. Eram marcas profundas. Quanto aos hematomas, ele dizia que tinha caído de bicicleta”, conta a madrasta.

Ainda segundo ela, o pai do menino chegou a acionar a Justiça para conseguir a guarda da criança, sem sucesso.

“Nunca houve sequer uma audiência. Nunca deram a chance da gente ficar com ele. Depois que ele passou os três meses com a gente, a mãe veio buscar e ele, mesmo ainda muito pequeno, dizia que não queria ir com ela, que queria morar com a gente”, conta Evelin.

Conforme o boletim de ocorrência, testemunhas disseram à polícia que o menino era constantemente espancado pela mãe, Luana Marques Fernandes, de 25 anos, e pela companheira dela, Fabíola.

As testemunhas também disseram aos policiais que quando a criança quebrou a perna, não foi devido a uma queda durante um jogo de futebol, como alegou a mãe do menino, mas sim a companheira da mãe que teria atropelado Davi e o prensado contra o portão de casa.

Fonte: G1

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana