CIDADES

Aulas continuarão suspensas em todas as escolas de Mato Grosso

Publicado

O governo do Estado manteve até o dia 30 de abril a suspensão das aulas na rede estadual e municipal de ensino, tanto nas escolas públicas quanto nas particulares.  Também ficam suspensas as aulas das universidades reforçando medidas de prevenção de contágio do Coronavírus. A decisão acaba de ser anunciada pelo governador Mauro Mendes e deverá ser publicada em edição extra do Diário Oficial. As aulas já estavam suspensas, desde o último dia 16, até o dia 5 de abril por força de decreto editado anteriormente. “Manter as aulas, nesse momento, aumentaria a possibilidade de transmissão entre as crianças, que poderiam levar o vírus para dentro de casa e causar complicações para as pessoas que estão nos grupos de risco”, pontuou o governador.

Mendes ressaltou que, assim como as demais medidas que o governo vem adotando, a manutenção da suspensão das aulas segue as orientações do ministério da Saúde. Para não haver prejuízo de ensino, a secretaria estadual de Educação (Seduc) e a Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) “deverão analisar a possibilidade técnica, operacional e orçamentária de retomada das aulas por meio de ferramenta que viabilize o ensino à distância, ficando autorizada a adoção de medidas necessárias para este fim”.

Segundo a assessoria do governo, todos os eventos, cursos e formações, que contariam com aglomeração de pessoas e que estavam ocorrendo na rede estadual, também continuam cancelados.

Mato Grosso está com 25 casos confirmados de Coronavírus. No boletim de hoje, foi informado que uma pessoa está curada.

Redação Só Notícias

Comentários Facebook
publicidade

CIDADES

Governo estuda isentar conta de luz de consumidores de baixa renda

Publicado

O governo estuda formas de isentar a conta de luz dos consumidores de baixa renda cadastrados no programa Tarifa Social por 90 dias. A medida tem “grandes chances de prosperar”, de acordo com o diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), André Pepitone. Segundo ele, seria uma medida para conter os impactos econômicos do avanço da pandemia do novo coronavírus.

O custo mensal de isentar a conta de luz desses consumidores, segundo Pepitone, seria de R$ 350 milhões por mês. Segundo ele, porém, essa decisão não cabe à Aneel, mas ao governo federal. “Estamos avaliando de onde virão os recursos. É uma medida estudada e com grande chances de prosperar.”

O programa Tarifa Social funciona de forma escalonada, como o recolhimento de Imposto de Renda. Exemplo: uma família de baixa renda com consumo mensal de 250 kWh paga os primeiros 30 kWh com 65% de desconto; a faixa entre 31 kWh e 100 kWh com 40% de desconto; a parcela entre 101 kWh e 220 kWh com 10% de desconto; e a parte acima de 220 kWh sem desconto algum.

A proposta em estudo, mencionada pelo diretor-geral, com custo de R$ 350 milhões mensais, isentaria os beneficiários até o limite de 220 kWh.

Para ter direito ao benefício, as famílias devem estar inscritas no Cadastro Único do Ministério da Cidadania e comprovar que a renda per capita não excede 0,5 salário mínimo. Por ano, cada família recebe, em média, R$ 200 de subsídio.

Desde a semana passada, diversos parlamentares começaram a se movimentar para apresentar propostas que aumentem a cobertura do Tarifa Social. Presidente da Comissão de Infraestrutura, o senador Marcos Rogério (DEM-RO) propôs que os gastos fossem bancados com recursos de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D), que representam 0,5% da receita operacional líquida das distribuidoras.

Na semana passada, a Aneel suspendeu, por 90 dias, os cortes de fornecimento de energia por falta de pagamento. Como foi aprovada numa reunião extraordinária, a decisão foi ratificada em reunião ordinária da diretoria nesta terça, 31.

Pepitone disse ainda estar em conversas com o Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) para avaliar a possibilidade de reduzir as alíquotas de ICMS sobre as tarifas de energia de forma temporária, durante a pandemia da covid-19.

Fonte: Cenário MT

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

Secretaria confirma 25 casos de Coronavírus em Mato Grosso; 8 hospitalizados e um está curado

Publicado

A confirmação dos 25 casos do Coronavírus em Mato Grosso foi feita, há pouco, pela secretaria estadual de Saúde, no boletim diário. Destes, 8 estão hospitalizados – quatro em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e quatro em enfermaria. Ontem, havia 18 casos confirmados no Estado e 4 estavam hospitalizados. Além disso, um paciente já se recuperou está curado.

Cuiabá lidera o ranking com 18 casos confirmados. Na sequência aparece, Rondonópolis com 4 casos, Várzea Grande 2. Outro é no Nortão, em Nova Monte Verde (467 km de Sinop). A média de idade dos confirmados é de 42 anos.

No período do dia 20 até ontem, o Laboratório Central do Estado (Lacen) analisou 352 amostras e 346 apresentaram resultados negativos através da metodologia de RT-PCR.

Consta ainda que 263 casos foram notificados de síndrome respiratória aguda grave.

A secretaria estadual de Saúde se adequou ao formato da Nota Informativa de Covid-19 aos padrões definidos pelo ministério e agora o boletim detalhará especificamente as informações relativas aos casos confirmados de coronavírus. Já os casos suspeitos serão monitorados e divulgados pelas secretarias municipais de Saúde.

Conforme Só Notícias já informou, ontem, o número de suspeitos em Sinop caiu de 7 para 6. Em Lucas do Rio Verde há 29 casos suspeitos e em Sorriso 6. Estão sendo monitorados 13 casos suspeitos de Coronavírus em Nova Mutum.

Em Matupá, Guarantã do Norte e Peixoto são investigados 22 casos suspeitos. Alta Floresta tem 5 casos suspeitos de Coronavírus sendo investigados

Em instantes, mais detalhes

Redação Só Notícias

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia MT

Mato Grosso

Política MT

Política Nacional

Economia

Mais Lidas da Semana