Educação

Centro Cultural Light inicia programação especial para as crianças

Publicado

O Centro Cultural Light deu início hoje (7) à programação gratuita de férias para a garotada. As atividades se estenderão até o próximo dia 31, com atrações variadas das 10h às 16h30, diariamente. De acordo com o gerente do Instituto Light e do Centro Cultural, Luis Felipe Younes do Amaral, as atividades foram concebidas visando o público infantojuvenil, mas os adultos podem acompanhar os pequenos e também participar.

A programação especial aproveita o período de férias escolares e interrompe as visitações rotineiras das escolas ao Centro Cultural, ligado à companhia energética Light. Meia hora antes de cada atividade são distribuídas senhas, obedecendo à lotação dos espaços. Younes recomendou que as pessoas cheguem um pouco antes e enquanto aguardam, podem ter contato com atrações permanentes do Centro Cultural Light, como um dos bondes que trafegavam na cidade do Rio de Janeiro e o caminhão elétrico que rodou no início do século passado. “Enquanto espera, chega um pouco antes e vai se divertindo. Fica essa dica”, sugeriu.

Centro Cultural Light inicia programação de férias.

Centro Cultural Light inicia programação de férias. – André Cyriaco/Light

Logo pela manhã, às 10h, os visitantes conferem as atrações contidas na Praça das Energias, que revelam as diversas formas de energia existentes, como a solar e a eólica (energia gerada pelos ventos), por exemplo. Eles participam de experiências que mostram as transformações da energia.

Descobertas

No espaço Décadas e Descobertas, a partir das 11h e com visita guiada, as crianças têm oportunidade de conhecer curiosidades e momentos marcantes dos últimos 100 anos e como a sociedade se relacionou com essas mudanças.

Como a companhia elétrica Light está completando 115 anos em 2020, o gerente do Centro Cultural explicou à Agência Brasil que nesse espaço, “a gente vai falando de tudo que foi acontecendo nessas décadas, do ponto de vista da energia elétrica e, para não ficar só nesse assunto, a gente dá uma passeada pela música, pela moda, por um cantor famoso. O visitante aperta um botão e o foguete que foi lançado à lua sobe; ele coloca a mão e toca uma música”. A história é contada ali de forma interativa, com o eixo central sendo a evolução da energia elétrica. “Mas a gente brinca um pouco com outras novidades que foram acontecendo naqueles períodos”, detalhou Younes.

Outra coisa que agrada os visitantes nesse espaço é um jogo para equipar a casa com eletrodomésticos eficientes e não eficientes. No final, eles veem a conta e percebem o que sai mais caro e mais barato. 

Na parte cultural, há a exposição fixa Di Cavalcanti – Múltiplas Imagens. A partir da observação das obras do artista Di Cavalcanti, um dos mais ilustres representantes do modernismo brasileiro, é possível viajar no tempo e entender um pouco mais sobre o Rio de Janeiro representado nas telas do artista.

Caleidoscópio

Crianças e jovens gostam, em especial, da Oficina de Caleidoscópio, às 13h30, onde é possível compartilhar vivências de infância a partir de estímulos cenográficos, sonoros e visuais, utilizando como ponto de partida a construção do caleidoscópio, que é um brinquedo muito antigo e para todas as idades. 

No mesmo horário, acontece a oficina Lupa Decodificadora, que permite identificar mensagens secretas que estão escondidas em pinturas feitas com giz de cera. “Essas atividades as crianças adoram, porque têm uma mística”. Como essa atração ocorre em paralelo à Oficina do Caleidoscópio, Luis Felipe Younes do Amaral afirmou que os visitantes têm que escolher para qual irão.

Consumo consciente

Além do Museu de Energia, que desperta a atenção para os benefícios da energia elétrica e a importância de seu uso seguro e eficiente, a partir de jogos eletrônicos, painéis multimídias e experimentos científicos, as crianças se divertem com a contação de histórias pela equipe do Programa Educativo Cultural Light. Os livros em questão são “Este é o Lobo”, de Alexandre Rampazo, e “Eu Não Acho de Jeito Nenhum”, de Blandina Franco.

“Tudo isso tem como fundo o nosso tema que é o consumo consciente. A gente faz com que fique mais divertido para as crianças e jovens. Se a gente coloca os meninos em uma sala e fala, o nível de percepção é um. Se a gente fala e experimenta, com sentidos visuais, toque, a percepção, a audição, a chance de gravar é muito maior. E o que a gente está falando o tempo inteiro é de consumo consciente, que energia é um recurso finito, que o mundo está mudando e que a gente precisa consumir de forma correta, que a energia não é mágica, ela vem de algum lugar, tem um custo, e é preciso não desperdiçar”.

Às 12h, há exibição de curtas de animação no Teatro Lamartine Babo, com classificação livre e duração de 50 minutos. A programação especial de curtas foi elaborada pelo grupo do festival Baixada Animada, da Baixada Fluminense, estado do Rio de Janeiro. Os curtas são temáticos e ligados à energia. Um deles é “Carrapatos e catapultas”, de Almir Correia.

Imaginação

Ainda para a garotada, foi montado o espaço Jogo das Histórias, que acontece às 16h. No local, os visitantes são convidados a construir histórias usando a imaginação e o improviso. “Nossos monitores estimulam a imaginação dos meninos para que formem as próprias histórias. Os meninos gostam dessas coisas diferentes. Porque hoje está tudo tão ‘hi-tech’ e a gente tem que misturar um pouco essa questão da tecnologia com o físico. Não dá para ficar só em um ou outro. Tem uma atração boa. As crianças e jovens ficam bem animados”, disse Younes.

O Centro Cultural Light está localizado na Avenida Marechal Floriano, 168, centro da cidade. O gerente adiantou que até o primeiro semestre deste ano, o Centro Cultural Light ganhará uma “árvore solar” na Praça da Energia, o que ampliará as atrações daquele espaço. 

 

Edição: Aline Leal

Comentários Facebook
Leia mais:  Problema de orçamento do CNPq está “sendo resolvido”, diz ministro
publicidade

Educação

Sisu registra 2,5 milhões de inscrições

Publicado

Mais de 2,5 milhões de inscrições foram realizadas no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) até as 20h20 desta quarta-feira. Segundo o Ministério da Educação, o número de inscritos chegou a 1,31 milhão de estudantes. 

“O sistema está rodando normalmente. Não teve interrupção. Está tudo funcionando”, disse o ministro da Educação, Abraham Weintraub, em vídeo publicado em rede social.

A pasta ressalta que entre meia-noite e 1 h desta quinta-feira (23), o Sisu será interrompido para que seja realizada a classificação de todas as inscrições. O período para inscrições no Sisu fica aberto até as 23h59 do dia 26. O Sisu é a principal forma de acesso ao ensino superior público com a nota do Ensino Nacional do Ensino Médio (Enem), divulgada na semana passada.

Nesta tarde, a pasta informou que cerca de 70% das inscrições do Sisu têm sido feitas por dispositivos móveis, como celulares e tablets. No início das inscrições, o sistema chegou a registrar 7 mil inscrições por minuto e apresentou lentidão. Segundo o MEC, a dificuldade em acessar a página eletrônica foi registrada após mudança do sistema, que nessa edição está armazenado em nuvem. 

Leia mais:  Programa da TV Brasil comenta provas do Enem

Para participar da seleção, é necessário não ter zerado a redação na edição de 2019 do exame. Neste semestre, são 237.128 vagas em 128 instituições de ensino superior públicas de todo o país. A inscrição é gratuita e deve ser feita na página do programa na internet.

Edição: Fábio Massalli
Tags: Enem Sisu MEC

Comentários Facebook
Continue lendo

Educação

MEC comprará mais de 7 mil bicicletas para uso de estudantes

Publicado

O Ministério da Educação (MEC) e o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) iniciaram o processo de compra de 7.636 bicicletas, por meio do programa Caminho da Escola. Segundo o MEC, as últimas aquisições ocorreram em 2011.

As bicicletas serão usadas por estudantes, que chegam a percorrer, a pé, diariamente, 15 quilômetros para chegar à escola ou ao ponto onde passa o ônibus escolar, segundo estudos do FNDE.

“Com os veículos, o MEC tem objetivo de diminuir a evasão escolar e melhorar a qualidade do transporte escolar, principalmente em áreas rurais e ribeirinhas”, diz nota do ministério.

A bicicleta estará disponível em dois tamanhos, o aro 20 e o aro 26, e vão ter quadro reforçado, selim anatômico, para-lamas, descanso lateral, espelho retrovisor, campainha e refletores. Serão ofertados também bombas manuais para encher o pneu, ferramentas e capacetes de segurança.

O programa Caminhos da Escola desde 2010 busca renovar a frota de veículos escolares no Brasil e garantir segurança e qualidade ao transporte dos estudantes.

Os estados, Distrito Federal e municípios interessados em adquirir as bicicletas devem acessar o Sistema de Gerenciamento de Atas de Registros de Preço (Sigarp) do FNDE e utilizar as atas do Fundo com recursos próprios ou fazer transferência direta, via Plano de Ações Articuladas (PAR).

Edição: Fernando Fraga

Comentários Facebook
Leia mais:  MEC remaneja recursos próprios para recompor orçamento das federais
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Polícia MT

Mato Grosso

Política MT

Política Nacional

Economia

Mais Lidas da Semana