Mato Grosso

Deputados votam contra projeto do governo de MT e não haverá ‘super-feriado’ de 10 dias

Publicado

O projeto de lei do governo do estado que prevê emendar cinco feriados para tentar conter os casos de Covid-19 foi reprovado pela maioria dos deputados durante a sessão desta terça-feira (23). Apenas o deputado Lúdio Cabral (PT) votou a favor da proposta.

Até os deputados da base aliada do governo na Assembleia Legislativa votaram contra o projeto.

Wilson Santos, do PSDB, disse que a pandemia está destruindo a população e que acredita que em breve deve ser decretado o lockdown no estado, mas que preferiu seguir o voto da bancada do governo contra o projeto.

O projeto foi aprovado pela Comissão de Saúde e rejeitado pela Comissão do Trabalho.

O deputado Lúdio Cabral (PT), que teve um requerimento aprovado na mesma sessão para a quarentena obrigatória em todo o estado por 15 dias, disse que não entendeu o posicionamento dos parlamentares.

Lúdio afirmou que espera que o governador tome providências independentemente da votação dos deputados.

Claudinei Lopes, do PSL, defendeu que o governo deve adotar outras alternativas.

O deputado Elizeu Nascimento, do DC, disse que o governador busca um caminho para ajudar no combate à pandemia, mas que na avaliação dele este não é a melhor solução.

Para Janaina, feriado prolongado pode causar mais aglomerações.

A maioria dos parlamentares se posicionou contra a exigência de fiscalizações mais rígidas, contra o isolamento e diz que é preciso buscar novos mecanismos para combater o coronavírus.

A proposta

 

O projeto do governo tem a pretensão de antecipar cinco feriados a partir de sexta-feira (26). Como a sexta-feira seguinte é a Sexta Feira Santa, seria feriado desta sexta-feira (26) até o domingo de Páscoa (4), totalizando dez dias, como tentativa de reduzir o contágio da Covid-19.

A intenção era antecipar os feriados de Corpus Christi, Consciência Negra, Dia do Servidor Público, Dia do Trabalhador e aniversário dos municípios, entre os dias 26 de março e 4 de abril.

O governador Mauro Mendes (DEM) foi até a Assembleia para entregar esse projeto e outros dois relacionados à pandemia do novo coronavírus. Ele argumentou que o projeto está baseado na ciência e que outros estados e até outros países já fizeram o mesmo para restringir a circulação de pessoas nas ruas, na tentativa de a transmissão da Covid.

A decisão de apresentar o projeto, segundo o governo, foi tomada após uma série de reuniões realizadas nos últimos dias com deputados estaduais, representantes da indústria, comércio, agronegócio, prefeitos, Poderes e instituições representativas da sociedade.

Fonte: G1MT

Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

Policiais prometem greve em Mato Grosso se agentes da Segurança Pública não forem vacinados

Publicado

Todas as associações classistas que defendem os profissionais da Segurança Pública de Mato Grosso prometem paralisação dos serviços se o governador Mauro Mendes (DEM) não tomar providências quanto aos pontos, horários e data de quando será liberada a vacinação para os agentes no modo geral.

Em nota encaminhada à imprensa, os policiais civis do estado avisaram que a mobilização já começou. O presidente do Sindicato dos Investigadores da Polícia Civil (Sinpol-MT), Gláucio de Abreu Castañon, falou que se a fala do governador sobre vacinação não passar de politica, a atitude dos servidores será de greve geral.

“Chega de politicalha. Estamos cansados de promessa e de porcariada midiática na TV. O que nós queremos realmente é que os policiais  sejam vacinados. E, sinceramente, ou o governo cumpre e vacine os policiais ou nós teremos que parar tudo! A segurança pública tem que parar. Chega de ser bode expiatório. Chega de estarmos aí trabalhando  (…) como  gado indo para o matadouro”, desabafou Castañon.

Os policiais, civis, militares e penais, já chegaram a fazer uma carreata pelas ruas de Cuiabá, com destino ao Palácio Paiaguás, cobrando a vacinação dos agentes. O governador Mauro Mendes declarou recentemente que concorda com a priorização da categoria na vacinação.

Na tarde de quarta-feira (1), ao anunciar a compra de 1,2 milhão de doses de vacina, o governador também confirmou que os agentes da Segurança Pública estão entre os que vão receber a vacina. O primeiro lote deve chegar em 20 de abril.

Fonte: Olhar Direto

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

15 mil professores da rede estadual terão notebook e internet paga por três anos

Publicado

A ajuda de custo é de até R$ 6.020 por servidor e será repassada pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc-MT) com o objetivo de amenizar os efeitos da pandemia de Covid-19 na educação básica.

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia MT

Mato Grosso

Política MT

Política Nacional

Economia

Mais Lidas da Semana