Nacional

Estudo diz que exoplanetas podem ter melhores condições de vida do que a Terra

Publicado

Planeta

planetas arrow-options
Divulgação/Nasa/JPL-Caltech

Estudo da Universidade de Chicago descobre que alguns exoplanetas têm potencial para abrigar mais vida do que a Terra

Um novo estudo indica que alguns exoplanetas podem ter melhores condições de vida do que a própria Terra .

A descoberta de exoplanetas acelerou a busca por vida fora do nosso sistema solar. Como eles estão muito distantes da Terra, são impossíveis de alcançar com as sondas espaciais. Por isso, os cientistas estão trabalhando com ferramentas de sensoriamento remoto, como telescópios, para entender quais são condições em diferentes exoplanetas.

Leia também: Nasa investiga possível primeiro crime cometido no espaço após briga de casal

A compreensão dessas observações remotas exige o desenvolvimento de modelos sofisticados de clima e evolução planetária que permitam aos cientistas reconhecer quais desses planetas distantes podem abrigar a vida.

Segundo Stephanie Olson, da Universidade de Chicago, a busca da NASA pela vida no universo está focada nos planetas da chamada Zona Habitável, que têm potencial para abrigar oceanos de água líquida. Mas nem todos os oceanos são igualmente hospitaleiros – e alguns oceanos serão melhores lugares para se viver do que outros, devido aos seus padrões de circulação global.

Leia também: Espetáculo astronômico: o que você ainda pode observar no céu em 2019

Uma pesquisa liderada pela pesquisadora modelou as prováveis ​​condições em diferentes tipos de exoplanetas usando um software desenvolvido pelo Instituto Goddard de Estudos Espaciais (GISS) da NASA, para simular os climas e habitats oceânicos de diferentes tipos de exoplanetas.

“Nosso trabalho tem como objetivo identificar os oceanos exoplanetas que têm maior capacidade de sediar vida globalmente abundante e ativa”, afirma Stephanie. A pesquisadora diz que a vida nos oceanos da Terra depende de afloramento (fluxo ascendente), que retorna nutrientes das profundezas escuras do oceano para as porções iluminadas pelo sol, onde vive a vida fotossintética.

Mais afloramento significa mais reabastecimento de nutrientes, o que significa mais atividade biológica. “Estas são as condições que precisamos procurar nos exoplanetas”, diz a pesquisadora.

A equipe da Universidade de Chicago criou modelos de uma variedade de exoplanetas possíveis, e foram capazes de definir quais deles têm a melhor chance de desenvolver e sustentar biosferas prósperas. Eles utilizaram um modelo de circulação oceânica para identificar quais planetas terão a ressurgência mais eficiente e, assim, poderiam oferecer oceanos particularmente hospitaleiros.

Leia também: Sete estados já pediram apoio federal para combater incêndios florestais

O resultado mostra que as condições em alguns exoplanetas com padrões de circulação oceânica favoráveis ​​podem ser mais adequadas para suportar vida mais abundante ou mais ativa que a vida na Terra. Para Stephanie, “esta é uma conclusão surpreendente”.

Comentários Facebook
publicidade

Nacional

Jiboia é encontrada por funcionários em prédio da UFRJ; assista

Publicado

Homem recolhendo cobra na UFRJ arrow-options
Reprodução

Animal foi removido na tarde desta segunda (4)

Uma jiboia foi encontrada e retirada de uma das unidades da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) nesta segunda-feira (4), na Ilha do Fundão. Segundo informações divulgadas pela Associação de Docentes da UFRJ, a AdUFRJ, a cobra foi encontrada por volta de 12h por funcionários que faziam a limpeza do bloco A do Centro de Tecnologia (CT).

A Associação informou ainda que a Brigada de Incêndio da Coppe foi acionada para remover o animal com segurança. Mesmo atraindo uma grande quantidade de alunos, professores e funcionários, muitos que frequentam o campus da universidade relatam que não é a primeira vez que um animal aparece por ali. Segundo o aluno Huang Ken Wei, mestrando no Programa de Planejamento Energético da Coppe, outros animais também costumam aparecer no local.

Leia também: Mulher é encontrada morta com cobra no pescoço em ‘casa de répteis’

“Já vi cavalos e muitas aranhas enormes. Ali no subsolo do CT tem muita coisa. É provável que se vasculharem ali, os funcionários vão achar outros animais. Os alunos dizem que tem até jacaré no mangue!”

Já o aluno Matheus Soliz, que cursa Letras na UFRJ, conta que nunca viu algum tipo de animal silvestre no campus, mas que o aparecimento da cobra na universidade deixou um clima de insegurança entre os alunos.

Leia também: Briga entre vespa e cobra-coral por corpo de outra cobra viraliza; assista

“Nunca vi nenhum tipo de animal potencialmente perigoso no campus. Mas a história da jiboia me deixa um pouco inseguro. Se é possível aparecer no CT, o prédio com a melhor infraestrutura da UFRJ e cheio de recursos, pode muito bem aparecer no meu prédio, a Letras, que tem uma infraestrutura que deixa muito a desejar”, lamentou.

Comentários Facebook
Continue lendo

Nacional

Polícia prende mais um suspeito de participar do assalto de Viracopos

Publicado

Assalto em Viracopos arrow-options
Redes sociais / Reprodução

Suspeito de participar do assalto foi preso em Caruaru.

A polícia prendeu no domingo mais um suspeito de participar do assalto a um carro forte no aeroporto de Viracopos, em Campinas, no interior de São Paulo. O homem, não-identificado, de 34 anos, foi detido nas proximidades da Feira da Sulanca, em Caruaru (PE). Com ele foram apreendidos cerca de R$ 300 mil em espécie. Segundo a Polícia Federal, o preso também é suspeito de participar de assaltos a bancos e transportadoras de São Paulo.

Leia também: Polícia prende três suspeitos de participar do roubo ao Aeroporto de Viracopos

A PF também prendeu outro homem. A suspeita é de que eles estavam planejando praticar algum roubo no Agreste pernambucano.

O assalto em Viracopos ocorreu no dia 17 de outubro e terminou com três pessoas mortas e quatro baleadas. Pelo menos seis bandidos fortemente armados invadiram o portão E24 do terminal em caminhonetes semelhantes às da Aeronáutica. O bando conseguiu entrar e fugir com dois malotes de dinheiro. Mais de dez membros da quadrilha esperavam do lado de fora.

Após bloqueio de rodovias e troca de tiros com policiais, todo o dinheiro roubado foi recuperado. Um dos criminosos chegou a invadir uma casa no bairro Vida Nova e fazer dois reféns.

Leia também: Criança de 2 anos joga carro dentro de piscina no interior de São Paulo

Mais de 20 malotes com valores em espécie, avaliados em R$ 13 milhões, estavam na mira do bando. Na hora do roubo , eram escoltados pela transportadora de valores Brink’s.

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana