Alta Floresta

IBAMA realiza operação de fiscalização e incendeia balsa de garimpeiros no Teles Pires.

Publicado

Garimpeiros que estavam trabalhando em áreas consideradas proibidas ou reservas, ao longo do Rio Teles Pires, na região de Alta Floresta no extremo norte de Mato Grosso, foram surpreendidos final de semana e principalmente no feriado de 7 de setembro, com a chegada do Ibama incendiando balsas de mergulho.

Alguns teriam saído do local apenas com a roupa do corpo, deixando para trás muitos pertences que viraram cinzas. Maquinários foram incendiados por agentes que segundo informações dos garimpeiros, agiram com truculência na operação que resultou em várias balsas destruídas no meio do Rio Teles Pires onde ficou apenas a mancha de óleo e outros dejetos que restaram dos equipamentos dos garimpeiros. “Se alguém ficasse na frente eles queimavam também”, disse um garimpeiro que preferiu não se identificar.

Há informações de que em uma das balsas incendiadas os garimpeiros que trabalhavam na mesma ficaram ilhados. “Queimaram a embarcação com motor também. Se os índios não tivessem socorrido, ainda tinha gente lá sem poder sair. Muitos tiveram que nadar até as margens”, acrescentou a fonte.

Na Cooperativa que representa os garimpeiros em Alta Floresta, o clima é de revolta. “nem os documentos – os agentes do Ibama – deixaram tirar das balsas. Foi um abuso total. Trataram como bandidos mesmo”, comentou via aplicativo Whatsapp, uma representante da entidade.

O Ibama até o momento não se manifestou sobre as ações que culminaram com balsas destruídas na região de Alta Floresta. Mas informações extraoficiais asseguram que se trata de operações contra atividades como o garimpo dentro de reservas indígenas ou áreas da união. Contudo, em redes sociais, tem registros até mesmo de representantes de etnias como a Kayabi repudiando o feito pelo Ibama no dia 7 de setembro.

“Isso é poluição de água que Ibama faz destruindo balsa de garimpeiros nos Rios e humilhando as populações indígenas. Essas fotos são na terra indígena kayabi. Aconteceu hoje dia 7 de Setembro de 2019”, postou o índio Awuer kayabi em sua página do facebook..

Fonte: Fonte: Arão Leite

Comentários Facebook
publicidade

Alta Floresta

“Coronafest”: Polícia põe fim a festa com mais de 20 pessoas em Alta Floresta

Publicado

A Polícia Militar de Alta Floresta colocou fim a mais uma festa, desta vez em uma chácara localizada na rodovia MT-208, o “evento” reunia cerca de 20 pessoas, entre elas menores.Três pessoas foram detidas, sendo dois homens de 20 e 26 anos e uma jovem de 19 anos, ela acompanhava a irmã menor de 14 anos, que no momento do abordagem apresentava sinais de embriaguez.

Denúncias levaram a PM até ao local, onde ocorria aglomeração de pessoas onde estaria acontecendo perturbação do sossego e corrupção de menores.

No local foram encontradas aproximadamente 20 jovens os quais confraternizavam sem qualquer cuidado para com as medidas determinadas em lei para a contenção da pandemia de COVID-19 (decreto municipal 063 /2020).

Além disso, infringindo o do decreto lei 2.848 de dezembro de 1940 em seu art.268 – infringir determinação do poder público destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa.

Um homem foi identificado como sendo o organizador do evento pois cedeu o local para a prática de perturbação do sossego e corrupção de menores.

Um dos abordados identificou-se como proprietário da “carreta de som automotivo” a qual fora utilizada de maneira a incomodar diversas pessoas nos arredores da chácara que ligavam número de emergência 190.

No local da festa foi flagrada a menor 14 (quatorze) anos visivelmente embriagada e acompanhada de sua irmã de 19 (dezenove) anos de idade, que acabou sendo detida.

Foram localizados diversos objetos utilizados para fumo, como narguilé, sem qualquer tipo de higienização e propícios para a propagação do vírus COVID-19.

Os suspeitos foram conduzidos e os objetos, inclusive o equipamento sonoro foram apreendidos.

Fonte: Redação Notícia Exata

Comentários Facebook
Continue lendo

Alta Floresta

PM fecha festa clandestina em Alta Floresta e leva 22 pessoas para a delegacia

Publicado

A Polícia Militar fechou uma festa clandestina e conduziu 22 pessoas à delegacia, ontem à noite, em uma residência, na região da MT-325, em Alta Floresta. Sete adolescentes foram apreendidos e 15 suspeitos foram presos. No local também foram apreendidas porções de maconha, narguilés e 11 garrafas de bebidas alcoólicas.

Por volta das 22hs, a Polícia Militar recebeu diversas denúncias de som alto e aglomeração de pessoas em uma casa localizada nas proximidades da rodovia MT-325. Os policiais pediram apoio das equipes da Força Tática e foram até o local.

Na casa, os policiais constataram a presença de um grande número de pessoas no mesmo ambiente consumindo bebidas alcóolicas e com som mecânico ligado. A polícia abordou os participantes do evento e verificou presença de 11 adolescentes entre 14 e 17 anos. Alguns dos menores de idade estavam ingerindo bebida alcóolica.

Com a chegada da PM algumas pessoas fugiram do local. Um dos participantes chegou a atirar contra a equipe de militares que revidou.

Na residência, os policiais apreenderam quatro narguilés, diversas porções de maconha em sacolas, 11 garrafas de bebidas alcóolicas, celulares, caixa de som, R$ 240 e outros objetos.

Durante a finalização da ocorrência na casa, um adolescente de 17 anos foi apreendido depois de atirar contra a equipe de policiais. Os disparos acertaram a viatura da Força Tática.

O responsável pela festa foi identificado e preso por corrupção de menores, além de permitir e promover aglomeração de pessoas, o que é proibido pelos órgãos sanitários para evitar a contaminação por coronavírus. O Conselho Tutelar foi acionado para tratar da situação dos menores de idade conduzidos à delegacia.

Redação Só Notícias (foto: assessoria)

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia MT

Mato Grosso

Política MT

Política Nacional

Economia

Mais Lidas da Semana