Tecnologia

Mi Store Brasil desaparece e prejudica milhares de clientes

Publicado

source

Olhar Digital

Xiaomi fez sucesso no Brasil e loja não-oficial aproveitou para lucrar arrow-options
Divulgação/Xiaomi

Xiaomi fez sucesso no Brasil e loja não-oficial aproveitou para lucrar


Antes de a Xiaomi chegar oficialmente ao Brasil , através da parceria com a DL Eletrônicos , e posteriormente com a loja oficial aberta em São Paulo , o site ” Mi Store Brasil ” era o meio utilizado por aqueles que queriam comprar um celular da marca chinesa. Nas últimas semanas, o portal voltou a ficar em evidência, mas por um motivo negativo. A loja deixou de entregar todos os pedidos feitos a partir da Black Friday , saiu das redes sociais, desativou o site e não responde nenhum contato.

Quando a fabricante chinesa chegou ao brasil, a Mi Store foi muito beneficiada, já que era o primeiro resultado para as buscas no Google . A Xiaomi tentou de tudo para derrubar o domínio ” MiStoreBrasil.com ” antes de começar suas operação no país, mas não teve sucesso. Aqueles fãs de longa data da marca já sabiam que o site não era muito confiável. O Reclame Aqui possuiu diversas reclamações em relação à loja. Porém, aqueles que quiseram aproveitar a Black Friday para comprar seu primeiro Xiaomi foram pegos de surpresa.

Leia mais:  Crianças francesas aprenderão sobre Bitcoin nas escolas

Reprodução

Complicações

Com isso, diversos pedidos foram feitos durante a Black Friday e o Natal , e literalmente todo mundo ficou no prejuízo. O que se sabe até agora é que o último status recebido para todas as compras são de “aguardando envio”, o site da loja está fora do ar, como mostra a imagem a cima, e todas as redes sociais foram excluídas. O número pode passar de mil clientes, com prejuízo médio de R$ 1,2 mil. Aqueles que procuraram à polícia foram desencorajados de fazer um boletim de ocorrência. Segundo os oficiais, é muito difícil avançar em casos que todos os dados “desaparecem”. Os clientes que pagaram pelo MercadoPago estão conseguindo estornar o valor gasto, mas o restante enfrenta dificuldades.

Leia também: Apple irá lançar cinco modelos de iPhone durante 2020, diz analista

As próprias vítimas tentam juntar o maior número de informações sobre a loja, mas elas são um tanto confusas. A Mi Store Brasil pertencia à empresa Action Sales Companhia Digital LTDA, com CNPJ 29.497.760/0001-38. Porém, a fatura do cartão dos clientes mostrava a loja com o nome JCell, e não Action Sales. A JCell possui um quiosque com o nome Mi Store Brasil em Blumenau, mas afirma que não possui nenhum vínculo com a Action Sales ou o site.

Leia mais:  Fake news é o mais novo produto à venda na Deep Web

Sumiço

O caso fica ainda pior. Aqueles que fizeram a compra por boleto notaram que o beneficiário era a PAD Eletrônicos. Uma terceira empresa diferente. Esta última, porém, é proprietária da loja online Huawei Store Brasil e, afirma que “A PAD Eletrônicos é uma das empresas do GRUPO ACTION que também é gestora da conceituada loja www.mistorebrasil.com”.

Como é possível notar, não vai ser fácil encontrar os responsáveis pela loja e, consequentemente, pelo prejuízo de centenas, talvez milhares, de clientes. As próprias vítimas estão se unido em grupos de Telegram para se apoiarem e encontrarem novas informações. Porém, os crimes digitais ainda são subestimados no Brasil e, infelizmente, esse caso deve demorar para ter um desfecho. Lembrando ainda que o site oficial de vendas da Xiaomi possui o domínio ” https://xiaomi.distribuidornacional.com.br/ “.

Via: Mobizoo

Comentários Facebook
publicidade

Tecnologia

CEO do Google quer que inteligência artificial seja regulamentada

Publicado

source

Olhar Digital

Google arrow-options
Reprodução

Sundar Pichai pede regulamentação da inteligência artificial


Sundar Pichai , CEO da Alphabet e do Google , solicitou novas regulamentações no mundo da inteligência artificial , destacando os perigos da tecnologia, como reconhecimento facial e deepfakes , enfatizando que qualquer legislação deve equilibrar “danos potenciais com oportunidades sociais”.

“Não há dúvidas de que a inteligência artificial precisa ser regulamentada. É muito importante fazer isso”, escreveu Pichai em um editorial no The Financial Times . Mesmo assim, deixou uma pergunta no ar: “Como lidar com isso?”.

Leia também: O que é Deepfake? Saiba como funciona e porque tecnologia pode afetar a política

Embora Pichai diga que um novo regulamento é necessário, ele também defende uma abordagem cautelosa, que pode não ter muitos controles significativos sobre a inteligência artificial . Ele observou que “novas regras apropriadas” devem ser introduzidas para alguns produtos, como carros autônomos. Mas em outras áreas, como atendimento médico, as estruturas existentes podem ser expandidas para abranger produtos assistidos por IA.

Leia mais:  Copiar no PC, colar no celular: app da Microsoft quer integrar dispositivos

Ele acrescentou ainda que a IA “pode aumentar o conhecimento, o sucesso, a saúde e a felicidade das pessoas”. Contudo, alertou que “a história está cheia de exemplos de como as virtudes da tecnologia não são garantidas”.

Leia também: Google é acusado de roubar tecnologia já patenteada

“Empresas como a nossa não podem simplesmente construir novas tecnologias promissoras e deixar as forças do mercado decidirem como serão usadas”, disse Pichai. “É igualmente importante para nós garantirmos que a tecnologia seja usada para o bem e esteja disponível para todos”.

Atualmente, os Estados Unidos e a União Europeia têm planos diferentes para uma regulamentação da IA. Enquanto os EUA defendem uma regulamentação leve que evite “alcance excessivo” para incentivar a inovação, a UE considera uma intervenção mais direta, como a proibição por cinco anos do reconhecimento facial .

Leia também: Não é só multa: entenda o que acontece com as empresas que não cumprirem a LGPD

O editorial de Pichai também levantou questões não resolvidas sobre a vanguarda da abordagem do Google para a regulamentação da inteligência artificial . Por exemplo, o CEO salienta que os princípios internos da companhia proíbem certos usos da tecnologia, “como apoiar a vigilância em massa ou violar os direitos humanos”. Devido a essas preocupações, o Google não vende tecnologia de reconhecimento facial.

Leia mais:  Como usar o filtro do cachorro nos Stories do Instagram

Por fim, o Google , como os reguladores do governo, deve equilibrar a promessa e a ameaça das tecnologias de inteligência artificial .

Comentários Facebook
Continue lendo

Tecnologia

Amazon dá desconto em pacote Office com licença perpétua

Publicado

source

Está precisando renovar a licença do Office ou finalmente vai trocar aquela versão pirata instalada no PC de casa? A loja virtual da Amazon preparou uma promoção nesta terça-feira (21) para facilitar essa decisão.

Leia também: Por que ter uma Smart TV Box em casa em pleno 2020?

computador arrow-options
shutterstock

gmail

O pacote Office Home & Student com as versões clássicas do World, Excel, PowerPoint e OneNote está com 40% de desconto. O preço original corresponde a R$ 498, mas nesta terça sai por R$ 139.

O software, cuja licença é perpétua, isto é, dura para sempre, permite a instalação em apenas um PC. Clique aqui para comprar !

Frete gratuito

É possível garantir essa e outras compras com frete grátis assinando o pacote Amazon Prime por R$ 9,90 mensais. Além do frete gratuito e irrestrito para qualquer lugar do Brasil, é possível assistir filmes e séries no streaming Prime Video, ler livros e revistas no Kindle e ouvir músicas no Amazon Music. Clique aqui para assinar !

Leia mais:  Fake news é o mais novo produto à venda na Deep Web

*O iG pode ganhar comissão sobre as vendas originadas a partir deste artigo

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Polícia MT

Mato Grosso

Política MT

Política Nacional

Economia

Mais Lidas da Semana