guarantã: edileusa é cassada pela justiça eleitoral, considerada inelegível e multada em r$ 20 mil

guarantã: edileusa é cassada pela justiça eleitoral, considerada inelegível e multada em r$ 20 mil

A vereadora Edileusa Ribeiro (PMB), eleita nas eleições de 2016 com 475 votos, foi cassada pela justiça eleitoral devido abuso de poder econômico, político e de autoridade durante o pleito eleitoral.

 

Incialmente três jovens foram presos por terem invadido uma propriedade privada no Bairro Santa Marta em Guarantã do Norte, os quais alegaram que foi a mando de Edileusa, na acareação com os jovens pelo Ministério Público a investigada não compareceu.

 

No mesmo processo foi apresentado ainda um áudio onde ela discursa na Tribuna de uma Igreja Evangélica e promete 250 casas populares, sendo as primeiras para os irmãos de fé, sendo que parou as inscrições devidas temer a Justiça Eleitoral.

 

Dados que constam nos autos do processo 0000183-62.2016.6.11.0044

 

Diante dos fatos apontados pelo Ministério Público, através da promotora de justiça da Comarca de Guarantã do Norte o doutor Juiz Diego Hartmann deferiu o pedido, declarando Edileusa inelegível por 08 anos a contar da data do pleito (02-10) dia das eleições de 2016.

 

O juiz cassou antecipadamente o registro de candidatura de Edileusa, que iria ser diplomada dia 28 de novembro, condenou a vereadora ao pagamento de R$ 20 mil em multa, e decretou que nulidade nos votos obtidos por Edileusa Oliveira Ribeiro, sendo assim determinou nova totalização dos votos das eleições proporcionais de Guarantã do Norte.

 

Com a cassação de Edileusa, assume Maria Socorro Leite Dantas (PSD) poderá ser diplomado, mas só podemos afirmar com clareza após a nova totalização de votos pela justiça eleitoral.