Policia Federal

PF deflagra a segunda fase da Operação Godmother

Publicado

Vila Velha/ES – A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira (5/9) a Operação Godmother – Fase 02, com objetivo de combater roubo às agências dos Correios. Aproximadamente oito policiais federais deram cumprimento a um mandado de busca e apreensão e um de prisão em desfavor de uma mulher. As ordens judiciais foram expedidas pela Comarca de Domingos Martins.

Durante as investigações dos crimes contra os Correios, nos anos de 2017 e 2018, foi identificada a ligação de uma mulher com a maioria dos criminosos presos à época. Após a realização de diversas diligências nos locais de crime, tomada de depoimento de testemunhas e interrogatórios de presos, comprovou-se que ela tinha posição de comando na quadrilha, sendo respeitada pelos assaltantes. Ela oferecia hospedagem, logística (veículos) e facilitava a obtenção de armas, além de apresentar criminosos que não se conheciam anteriormente.

Além disso, participou diretamente dos roubos às agências de Viana e Venda Nova do Imigrante, nos meses de fevereiro e março de 2017, e Domingos Martins, nos meses de março e julho de 2018, sendo que providenciou veículos para os crimes e permaneceu do lado de fora das agências, vigiando o local e se comunicando com os criminosos por telefone celular, avisando caso alguém fosse entrar nas agências.

Leia mais:  Operação Dente de Leão reprime desvios de recursos públicos em Flores do Goiás

O modus operandi do grupo criminoso era render os funcionários e clientes da empresa pública, aguardar o mecanismo de retardo do cofre para abri-lo e supostamente tranquilizar as vítimas dizendo que só queriam o dinheiro do governo.

Por fim, a presa também está sendo investigada por lavagem de dinheiro do produto dos crimes cometidos pela quadrilha.

Os investigados responderão pelos crimes de roubo qualificado e lavagem de dinheiro, previstos respectivamente nos artigos 157, §2º, incisos I, II e V do Código Penal e artigo 1º da Lei 9.613/98, cujas penas somadas poderão chegar a 13 (treze) anos de reclusão por cada roubo.

 

 

Comentários Facebook
publicidade

Policia Federal

Polícia Federal deflagra Operação 4 Patas no porto do Rio de Janeiro

Publicado

Rio de Janeiro/RJ – A Polícia Federal realizou na segunda-feira (13/1) a Operação 4 Patas no porto do Rio de Janeiro, com inspeção nas áreas de embarque e desembarque. A referida operação tem como objetivo intensificar o combate ao tráfico de drogas e de armas nos principais aeroportos e portos do país.

A ação contou com a participação de quatro policiais federais. Cerca de 3.500 pessoas foram vistoriadas por cães farejadores treinados em detecção de drogas, armas e explosivos.

A operação, que teve início no dia 7 de janeiro, ainda ocorrerá nos aeroportos do Galeão, Santos Dumont e Jacarepaguá.

 

Comunicação Social da Polícia Federal no Rio de Janeiro

Contato: (21) 2203-4404 / 4405 / 4406 / 4407
E-mail: [email protected] (atendimento à imprensa)

Comentários Facebook
Leia mais:  Polícia Federal combate o parcelamento urbano ilegal no DF
Continue lendo

Policia Federal

PF combate pesca ilegal na Baía Norte

Publicado

Florianópolis/SC – A Polícia Federal deflagrou nesta terça (14/1) a Operação Tangoneiros, cuja finalidade é desarticular grupo criminoso envolvido com a pesca ilegal de camarão, na modalidade de arrasto, praticado nas águas da Baía Norte, em Florianópolis e região metropolitana.

Um grupo de 26 policiais federais está dando cumprimento a 6 mandados de busca e apreensão, em Biguaçu e Governador Celso Ramos/SC, os quais foram expedidos pela 1ª Vara Federal de Florianópolis/SC.

A partir do aprofundamento das investigações iniciadas em 06/06/2019, com a prisão em flagrante de um indivíduo pelo crime de pesca proibida, restou demonstrado que um grupo de pessoas se associou de forma estável para a prática de tal modalidade de pesca ilegal.

 Tal grupo utilizava pessoas como “olheiros” para acompanhar e divulgar a movimentação de veículos e embarcações da Polícia Federal e dos órgãos de fiscalização ambiental e, por meio de um aplicativo de comunicação, difundir tais informações entre os pescadores que atuavam associados, dificultando, assim, a atuação do poder público.

Os investigados poderão ser indiciados pela prática dos crimes previstos nos arts. 34 e 69 da Lei nº 9.605/98 (pesca proibida e embaraço à fiscalização, respectivamente) e no art. 288 do Código Penal (associação criminosa).

Leia mais:  Operação Dente de Leão reprime desvios de recursos públicos em Flores do Goiás

 

 Comunicação Social da Polícia Federal em Santa Catarina

[email protected]| www.pf.gov.br

Contato: (48) 3281-6694

 

*** O nome da operação é uma alusão à nomenclatura das embarcações utilizadas para a prática da pesca de camarão na modalidade de arrasto.

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Polícia MT

Mato Grosso

Política MT

Política Nacional

Economia

Mais Lidas da Semana