Política

Ranking Radar do Congresso confirma: Barbudo é o deputado mais bolsonarista do Brasil.

Publicado

Radar do Congresso é uma ferramenta do site Congresso em Foco, que uma publicação especializada sobre a atuação de deputados e senadores. Anualmente a publicação premia parlamentares eleitos por votação na internet com o cobiçado Premio Congresso em Foco.

Paralelo ao prêmio, a equipe técnica do Radar do Congresso desenvolveu um estudo detalhado para aferir o tamanho, a consistência, a assiduidade em plenário, participação nas votações de interesse do governo e a lealdade da bancada bolsonarista na Câmara dos Deputados.

No ranking divulgado, nesta segunda-feira, o deputado federal Nelson Barbudo aparece não apenas como o representante da bancada de Mato Grosso no Congresso mais alinhado com o Planalto. Barbudo deixa para trás nomes consagrados da base de Bolsonaro e figura como o mais deputado mais bolsonarista da Câmara dos Deputados.

De acordo com os critérios adotados pelo Radar do Congresso, Barbudo foi classificado como 99% governista. Leia-se: Bolsonarista. Ainda de acordo com o Radar, o parlamentar teve 96% de presença nas votações.

Atrás de Barbudo estão todos os demais deputados da base do presidente Jair Bolsonaro na Câmara dos Deputados, inclusive o filho do presidente, Eduardo Bolsonaro (98%), o líder do governo, deputado Vitor Hugo (98%)Carla Zambelli (96%)Bia Kicis (96%)Hélio Lopes (98%)Luiz Philippe de Orleans e Gragança (91%)Paula Belmonte (85%)Dr Leonardo (87%)José Medeiros (97%) e Neri Gueller (95%).

“Fico feliz em aparecer no Radar do Congresso como sendo o deputado que mais vota com o presidente Bolsonaro. Apenas uma correção: não sou 99% Bolsonaro, sou 100%. De qualquer forma, fico agradecido com o reconhecimento de nossa atuação em defesa dos interesses do povo brasileiro e faço questão de dividir essa honraria com cada patriota do Brasil e, em especial, de meu querido MT”, afirmou Barbudo.

Fonte: A Bronca Popular

Comentários Facebook
publicidade

Política

Pré-candidata ao Senado Natasha Slhessarenko visita Guarantã do Norte e municípios da região

Publicado

A médica Natasha Slhessarenko (PSB), pré-candidata ao Senado por Mato Grosso, foi recepcionada na manhã do último sábado (28), por apoiadores no município de Guarantã do Norte.*

Convidada pelo Presidente da Câmara Municipal, Valcimar Fuzinato (PSB), a única pré-candidata mulher, conversou com lideranças políticas, vereadores e representantes da população.

 

Além de Natasha, o encontro contou com a presença dos pré-candidatos a Deputados Estaduais pelo partido do PSB, o Delegado Regional Geraldo Gezoni Filho e o ex-vereador Sidney de Paula.

Segundo a pré-candidata, a escolha de participar de uma corrida eleitoral se deu por causa do desafio de se fazer mais pela população. “Tenho certeza que fora do consultório e das salas de aula, poderei contribuir muito mais com o povo do Mato Grosso”.

Currículo – Natasha Slhessarenko: Formada pela UFMT, Médica Pediatra e Patologista Clínica, Residência em Pediatria e Patologia Clínica – USP, Mestrado e Doutorado – USP, Professora Pediatria da UFMT, Responsável Técnica da Vida Diagnóstico e Saúde, Diretora Médica do CEDIC-CEDILAB-MT, Diretora Médica do ALTA-SP, Presidente regional da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica, Coordenadora Regional (Centro-Oeste) da Sociedade Brasileira de Pediatria, Membro da Academia Mato-grossense de Medicina, Conselheira Efetiva do CFM, Coordenadora da Câmara Técnica de Doenças Raras do CFM, MBA em Gestão e Políticas Públicas pela FGV em 2020, CRM/MT 2909 | CRM/SP 69231, RQE 874 | RQE 879, Professora de Medicina.

Natasha explica que uma de suas motivações está no fato de ter vivido dentro de um ambiente polítco, pois sua mãe, Serys Slhessarenko, foi secretária de Educação, deputada estadual e senadora.

No encontro em Guarantã do Norte, foi a oportunidade de também conhecer os amigos de sua mãe, que por muitas vezes esteve na cidade trazendo recursos.

Após passar pelo município Guarantãensse, Natasha se deslocou até Peixoto de Azevedo, cumprindo agenda por lá e em outras cidades da região Norte.

Comentários Facebook
Continue lendo

Política

TJ condena vereador em MT por ser bancário em Guarantã do Norte.

Publicado

O vereador de Pontal do Araguaia-MT , José Marques Figueiredo de Souza (DEM), o “Marquinhos”, que tinha carga-horária incompatível trabalhando como escriturário em uma

instituição financeira foi condenado a pagar multa no valor de 10 vezes de sua maior remuneração no cargo eletivo. O caso foi julgado pela Primeira Câmara de Direito Público e Coletivo. De acordo com o

processo, o parlamentar mantinha um emprego na cidade de Guarantã do Norte/MT  situada a mais de 1200 quilômetros de Pontal do Araguaia/MT  onde precisava cumprir suas obrigações como legislador

municipal. “Marquinhos” manteve as duas atribuições no período de janeiro de 2013 a julho de 2017.

Na época dos fatos, o apelado deveria cumprir carga horária de 30 horas semanais, de segunda a sexta-feira, como escriturário, no período compreendido entre as 10 horas às 16h15mins (horário de Brasília). Todavia, como vereador no Município de Pontal do Araguaia, deveria comparecer aos horários de funcionamento da Câmara Municipal, que nos anos de 2013 e 2014 era das 7 horas às 11 horas e das 13 horas às 17 horas, passando, a partir de 2015, para as 07 horas às 11 horas e das 14 horas às 18 horas, além das sessões ordinárias toda segunda-feira, no período entre as 20 horas e 22h30min.

O relator do caso na segunda instância, Gilberto Lopes Bussiki, ponderou que o dolo do apelado foi comprovado nos autos, pois na qualidade de vereador, o apelado tinha perfeita consciência quanto aos ditames legais, cabendo-lhe, diante da incompatibilidade de horários, ter se afastado do cargo de agente escriturário. “Mormente, quando o exercício de tal atividade era em município diverso, cuja localização geográfica impedia sua locomoção constante. Destarte, em observância à gravidade e a lesividade da conduta concluo que a cominação de multa civil de 10 vezes a remuneração no cargo de vereador e a suspensão de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, por cinco anos, mostra-se suficiente ao caso concreto”, disse o magistrado mantendo a decisão de 1ª Instância.

Fonte: Folha Max

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana