CIDADES

Rio-clarenses são finalistas da categoria Crônica na Olimpíada da Língua Portuguesa

Publicado

Os finalistas da categoria Crônica da 6ª edição da Olimpíada de Língua Portuguesa foram anunciados na última semana pela organização do concurso nacional. Com a produção “Fim do Mundo”, a aluna do 9° ano do Ensino Fundamental, Jéssica Vitória da Silva Rocha (14), e sua professora, Cinthia Angélica da Silva Alves (37), ambas da Escola Estadual Santana D’Água Limpa, em um assentamento homônimo de São José do Rio Claro (315 quilômetros a Médio-Norte de Cuiabá), são as únicas representantes do Estado de Mato Grosso.

Para celebrar o feito, a equipe gestora na instituição de ensino, distante cerca de 10 quilômetros do perímetro urbano, realizou uma homenagem que contou com a presença do Chefe do Executivo rio-clarense, Valdomiro Lachovicz, a secretária municipal de Educação, Maria do Socorro de Oliveira, e o assessor pedagógico da Secretaria do Estado de Educação, Esporte e Lazer de Mato Grosso (Seduc-MT), Márcio Castanho. O esposo da professora, Carlos Silva Alves, e os pais da aluna, Maria Cícera da Silva Rocha e Odair Monteiro Rocha, as surpreenderam com ramalhetes. Placas com condecorações também lhes foram entregues. Declarações de satisfatório apoio em um momentos emocionantes.

Segundo o diretor, Patrick Rafael Drescher, a revelação de que a aluna do assentamento, no interior mato-grossense, foi escolhida para concorrer a final da Olimpíada é um relevante exemplo de superação.

“Sentimento de felicidade e gratidão. Para nós, enquanto gestão, isso vai motivar os outros os alunos a acreditarem em seus potenciais e investirem seus conhecimentos sem relutâncias, basta acreditar, estudar, argumentar e executar. Portanto, essa conquista não é somente para a Jéssica e a professora Cinthia, mas para a escola como um todo”, enfatiza.

Ao endossar as palavras do gestor, assessor pedagógico da Seduc-MT, Márcio Castanho, enfatizou o protagonismo da dupla no diferencial instrutivo e de formação infantojuvenil dos discentes ruralistas.

“Ficamos muito felizes com a notícias da seletiva, haja vista que é uma escola do campo que, por vezes, é discriminada por pessoas alheias ao ambiente escolar e que acreditem ter um ensino deficitário, quando, na verdade, temos alunos protagonistas em todas as escolas. A professora teve a iniciativa, capacitou e fez a diferença na vida dos alunos. Nosso papel é sempre acreditar, incentivar, capacitar durante os momentos formativos e tivemos essa grata devolutiva como reflexo das ações pedagógicas”, destaca.

A secretária municipal de Educação, Cultura, Esporte e Lazer, Maria do Socorro de Oliveira, congratulou com orgulho a dupla de finalistas.

“Esse é o resultado de um esforço coletivo, em que houve um olhar profissional e carinhoso a equipe escolar, considerando vivências, interlocuções e acreditando no potencial de cada aluno. Estamos transbordados de alegria. Parabéns à direção, coordenação, professores, colaboradores, pais e aos estudantes que se empenham diariamente para demonstrar a competência de suas habilidades”, compraz.

Tamanho desempenho foi exaltado pelo prefeito, Valdomiro Lachovicz, que concerne a enfática importância da conquista para a educação do Município.

“O fruto do trabalho com magnitude nacional se resulta do crédito pelo empenho de uma equipe qualificada, que deposita em cada aluno a semente da esperança de um futuro cujos obstáculos são transponíveis. Independente da certificação final, a população rio-clarense se orgulha e celebra esse feito, que é o mais importante concurso de Língua Portuguesa do Brasil. Nossos parabéns à aluna Jéssica Vitória e à professora Cinthia, assim como a toda equipe gestora da instituição. São José do Rio Claro está na torcida por vocês!", aplaude o gestor.

“FIM DO MUNDO”

A crônica “Fim do Mundo”, escrito pela estudante do 9° ano do Ensino Fundamental, Jéssica Vitória da Silva Rocha (14), remeteu a um pavoroso acontecimento guardado em sua memória desde quando tinha apenas 7 anos, metade de sua idade atual.

Isso porque numerólogos e ocultistas acreditavam que o mundo estaria programado para extinguir a existência humana na data de 12 de dezembro de 2012. A coincidência dos dígitos fomentava a especulação e foi amplamente divulgada nos meio de comunicação. A locução transmitida pelo rádio assustava até mesmo os mais céticos ouvintes rio-clarenses.

O fatídico dia chegou e com ele uma chuva torrencial acompanhada de uma ventania extraordinária, que arrancou até mesmo as gramas do quintal de casa, localizada em uma propriedade de assentamento rural. A menina se escondeu sob a cama e desejava, naquele momento, estar abraçada de seu pai, ausente pelo serviço, temendo que aquela fosse sua última oportunidade em vida.

“Não entendi muito bem porque Deus mudou de ideia, talvez fosse o meu apelo debaixo da cama que o tenha sensibilizado, é deve ter sido, porque minha mãe diz que se a gente pedir com fé as coisas acontecem. Ela tinha razão. Mas por via das dúvidas, é melhor não ouvir mais a rádio!”, descreve um trecho da crônica.

Esse foi o enredo finalista, incentivado e supervisionado pela docente da disciplina na Escola Estadual Santana D’Água Limpa, em um assentamento homônimo de São José do Rio Claro (315 quilômetros a Médio-Norte de Cuiabá).

“Apresentei a história na roda de conversa porque foi muito marcante em minha vida. Toda aquela emoção e intensidade foi transformada em texto, uma crônica, com nuances de humor, apesar do susto da época. Escrevi sem expectativas e fui surpreendida mais tarde com a seleção nas etapas seguintes até chegar na final. Estou imensamente feliz!”, relata a estudante.

Professora de Língua Portuguesa há três anos na instituição, Cinthia Angélica da Silva Alves (37) comenta que o gênero textual propõe absorver vivências do cotidiano com um olhar mais aprofundado. Inicialmente, foram feitas rodas de conversa, seguidas de produções literárias. Com persistência, essas passaram pelo crivo da escola, afunilando concorrência conforme percorriam as etapas – Municipal, Estadual, até chegar a Nacional. Diante das dificuldades, nem mesmo a educadora se imaginou chegar tão longe, com representativo respeito ao docente e ao aprendiz.

“Foi uma surpresa grandiosa. Enquanto professora, faço o possível para motivar as crianças. Tentei resgatar nesses alunos a valorização pelo lugar em que eles vivem, trabalhar em sala que eles tivessem esse olhar atento para uma vivência, para uma paisagem, para uma cena que eles passam desapercebidos no dia-a-dia. Fizemos uma roda de conversa e foi assim que chegou a essa história, esse acontecimento que ela narrou em sala, quando percebi o potencial de uma produção textual interessante. Realmente, senti que mudar o mundo está dentro da sala de aula”, vibra ao concluir.

OLIMPÍADA DE LÍNGUA PORTUGUESA

Os 250 estudantes e professores de escolas públicas selecionados na etapa estadual estiveram em São Paulo entre os dias 23 e 25 durante a etapa semifinal. Participaram de passeio cultural à Pinacoteca do Estado (um dos principais museus da cidade), palestra do escritor Jessé Andarilho, roda de conversa com autores, oficinas de texto e atividades de integração com os demais semifinalistas e professores de todos os estados brasileiros.

Dos 125 estudantes, somente 38 foram selecionados, de todas as regiões do país, a chegarem na etapa final, no dia 9 de dezembro, em São Paulo, quando serão revelados os vencedores nacionais. Em número absolutos, a edição abrangeu 4.876 municípios, com 42.086 escolas inscritas. Dessas, 85.908 professores em 171.035 inscrições nas categorias. Mais de cinco milhões de alunos participaram das oficinas de leitura e escrita realizadas para as produções textuais.

A Olimpíada de Língua Portuguesa é realizada pelo Itaú Social e o Ministério da Educação (MEC) com coordenação técnica do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec). O objetivo é apoiar os professores da rede pública no aprimoramento das práticas de ensino de leitura e escrita. A partir da metodologia do Programa Escrevendo o Futuro, os professores realizam oficinas de produção de texto com os alunos do 5º ano do Ensino Fundamental ao 3º ano do Ensino Médio. O tema do concurso é “O lugar onde vivo”, um estímulo à reflexão sobre as realidades locais.

O concurso conta com a parceria da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), da Fundação Roberto Marinho e do Canal Futura.

Números desta edição:

4.876 municípios participantes;

42.086 escolas inscritas;

85.908 professores inscritos;

171.035 inscrições nas categorias;

Mais de 5 milhões de alunos participantes das oficinas de leitura e escrita realizadas para a produção dos textos.

Comentários Facebook
publicidade

CIDADES

O Neurologista Dr. José Luis Maida estará atendendo dia 10 e 14de Junho no Centro Médico Domingos Salomão

Publicado

O Neurologista Dr. José Luis Maida estará atendendo dia 10 e 14de Junho no Centro Médico Domingos Salomão:

• dor de cabeça (cefaléia),

• dores na coluna (lombalgia, cervicalgia…)

• desmaios e crises epilépticas (epilepsia),

• formigamentos (parestesias) e outras alterações da sensibilidade,

• perda de força (paralisias, plegia ou paresia), AVC

• alterações do estado mental (confusão, agitação), perda de memória,

• tonturas, alterações do equilíbrio e marcha,

• movimentos involuntários (tremores, tics),

• distúrbios do sono (falta de sono ou sono em excesso),

• déficit de atenção,

• alteração do humor (irritabilidade, depressão),

• ansiedades (medos, fobias, pânico, preocupações excessivas).

AGENDE SUA CONSULTA!

📞(66)3552-1737

📱(66)99602-1267

📲(66)99649-0330

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

Centro Médico Domingos Salomão – Uma história que nasceu com Comercial Beira Mata em Guarantã do Norte

Publicado

Por Regiane Moreira

Guarantã completa 41 Anos, e aí está o motivo que aqui nos trouxe há quase 35 anos. Nosso primeiro empreendimento Comercial Beira Mata, que deixou de existir como loja de materiais para construção, mas se transformou em um nome e nos deu muita sorte nas demais atividades que optamos investir, como atualmente o Centro Médico Domingos Salomão.

Tenho muito orgulho desse nome, pois traz a honra, a credibilidade e a contribuição social da minha família a este município.

Obrigada a todos que fizeram parte da nossa história, aos amigos, colaboradores e clientes a quem devemos o que somos e o que conquistamos desde o tempo do Comercial Beira Mata. E digo mais: continuamos em “construção”… Construção de uma Guarantã melhor para que muitas famílias, assim como a minha, possa viverem e ter orgulho de morar nesta terra!

Parabéns Guarantã do Norte!!!!

Parabéns para nós!!!

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana