Tecnologia

Robô russo retorna à Terra após breve estadia em estação espacial

Publicado

Olhar Digital

espaço arrow-options
Agência Espacial Europeia

Robô passou duas semanas em estação espacial.


Depois de uma curta estadia a bordo da Estação Espacial Internacional (ISS), o robô humanoide russo, Skybot F850, retornou à Terra dentro de uma espaçonave Soyuz não tripulada. Originalmente conhecido como FEDOR, o robô foi submetido a uma série de testes por uma equipe de cosmonautas russos durante sua estadia de duas semanas a bordo da ISS.

A viagem do Skybot à estação espacial também foi uma espécie de teste. O robô foi lançado sozinho em uma versão de passageiro da espaçonave Soyuz no topo de um novo tipo de foguete. Em breve, a Rússia irá usá-lo para lançar tripulações humanas, e queria garantir que a cápsula e o booster funcionassem bem juntos primeiro, sem pessoas a bordo.

Leia também: ‘Robô-barata’ quase indestrutível pode ajudar em desastres naturais

O lançamento em si foi um sucesso, mas uma vez no espaço, a cápsula Soyuz com o Skybot teve dificuldade em atracar à ISS . A primeira tentativa, um atracamento automático, foi abortada devido a um problema com uma das escotilhas do lado de fora da estação. A tripulação a bordo da ISS teve que mudar outra espaçonave visitante de lugar para “liberar a vaga” para a Soyuz. Com isso, o Skybot chegou à ISS quatro dias após o lançamento, em vez dos dois planejados.

Leia mais:  Uber lança serviço de patinete elétrico no litoral paulista

O Skybot tentou executar tarefas dos cosmonautas, como trabalhar com ferramentas e conectar hardware. Alguns dos testes pareceram relativamente bem-sucedidos no ambiente de microgravidade. O humanoide também manteve uma conta no Twitter para atualizar o público sobre seus feitos e descobertas.

Leia também: Bonecos e robôs te assustam? Estudo tenta explicar o porquê

Aqui, o bot posa com Aleksander Skvortsov e Alexey Ovchinin, cosmonauta russo, logo após sua chegada. O Skybot mencionou que “suas engrenagens estavam em boa forma” na chegada.

 Aqui, o Skybot tenta usar uma furadeira elétrica, e fica desconfortavelmente próximo à cabeça de Ovchinin. No final do vídeo, o Skybot aparentemente esfrega a testa com uma toalha.

Leia mais:  Publicações sobre dietas serão menos mostradas para jovens no Instagram; entenda

 E parece que até os robôs ficam com saudades de casa depois de um tempo. Skybot observou que, durante o seu tempo livre, gostava de admirar a nossa Terra de uma das janelas. “É lindo”, o bot expressou em um tweet.

Comentários Facebook
publicidade

Tecnologia

Microsoft libera tecnologia do Xbox para o combate à pedofilia

Publicado

source
Tecnologia da Microsoft irá ajudar no combate à pedofilia arrow-options
Thinkstock/Getty Images

Tecnologia da Microsoft irá ajudar no combate à pedofilia


Uma tecnologia utilizada no Xbox foi liberada pela Microsoft para ajudar a detectar adultos que utilizam as redes para praticar crimes relacionados à pedofilia. A ferramenta será disponibilizada gratuitamente pela Thorn, organização sem fins lucrativos dedicada ao combate ao abuso sexual de crianças .

Batizado como Projeto Artemis, a tecnologia avalia conversas online por texto e dá um índice de probabilidade, traçando o perfil dos potenciais predadores sexuais. O teor da conversa é analisado e recebe um nível de possibilidade de que aquela troca de mensagens pode ter o envolvimento de um pedófilo .

Com o índice à disposição, um moderador humano poderá ser acionado para repassar as informações coletadas para autoridades ou organizações de proteção a crianças.

Leia também: Vale a pena monitorar o celular dos filhos? Entenda os apps de controle parental

O Projeto

Iniciado em 2018, o Projeto Artemis foi desenvolvido pela Microsoft em parceria com The Meet Grup,  Roblox, Kik e Thorn. O processo contou com a participação de Hany Farid, pesquisador que trabalhou na criação da PhotoDNA, ferramenta gratuita que ajuda a detectar e denunciar fotos de abuso infantil.

Leia mais:  Site da Caixa apresenta falha que permitia golpes de hackers aos usuários

Comentários Facebook
Continue lendo

Tecnologia

Mi Store Brasil desaparece e prejudica milhares de clientes

Publicado

source

Olhar Digital

Xiaomi fez sucesso no Brasil e loja não-oficial aproveitou para lucrar arrow-options
Divulgação/Xiaomi

Xiaomi fez sucesso no Brasil e loja não-oficial aproveitou para lucrar


Antes de a Xiaomi chegar oficialmente ao Brasil , através da parceria com a DL Eletrônicos , e posteriormente com a loja oficial aberta em São Paulo , o site ” Mi Store Brasil ” era o meio utilizado por aqueles que queriam comprar um celular da marca chinesa. Nas últimas semanas, o portal voltou a ficar em evidência, mas por um motivo negativo. A loja deixou de entregar todos os pedidos feitos a partir da Black Friday , saiu das redes sociais, desativou o site e não responde nenhum contato.

Quando a fabricante chinesa chegou ao brasil, a Mi Store foi muito beneficiada, já que era o primeiro resultado para as buscas no Google . A Xiaomi tentou de tudo para derrubar o domínio ” MiStoreBrasil.com ” antes de começar suas operação no país, mas não teve sucesso. Aqueles fãs de longa data da marca já sabiam que o site não era muito confiável. O Reclame Aqui possuiu diversas reclamações em relação à loja. Porém, aqueles que quiseram aproveitar a Black Friday para comprar seu primeiro Xiaomi foram pegos de surpresa.

Leia mais:  Smartphone da Xiaomi lidera lista dos 10 celulares mais buscados por brasileiros

Reprodução

Complicações

Com isso, diversos pedidos foram feitos durante a Black Friday e o Natal , e literalmente todo mundo ficou no prejuízo. O que se sabe até agora é que o último status recebido para todas as compras são de “aguardando envio”, o site da loja está fora do ar, como mostra a imagem a cima, e todas as redes sociais foram excluídas. O número pode passar de mil clientes, com prejuízo médio de R$ 1,2 mil. Aqueles que procuraram à polícia foram desencorajados de fazer um boletim de ocorrência. Segundo os oficiais, é muito difícil avançar em casos que todos os dados “desaparecem”. Os clientes que pagaram pelo MercadoPago estão conseguindo estornar o valor gasto, mas o restante enfrenta dificuldades.

Leia também: Apple irá lançar cinco modelos de iPhone durante 2020, diz analista

As próprias vítimas tentam juntar o maior número de informações sobre a loja, mas elas são um tanto confusas. A Mi Store Brasil pertencia à empresa Action Sales Companhia Digital LTDA, com CNPJ 29.497.760/0001-38. Porém, a fatura do cartão dos clientes mostrava a loja com o nome JCell, e não Action Sales. A JCell possui um quiosque com o nome Mi Store Brasil em Blumenau, mas afirma que não possui nenhum vínculo com a Action Sales ou o site.

Leia mais:  Mensagens que se autodestroem estão chegando ao WhatsApp; confira

Sumiço

O caso fica ainda pior. Aqueles que fizeram a compra por boleto notaram que o beneficiário era a PAD Eletrônicos. Uma terceira empresa diferente. Esta última, porém, é proprietária da loja online Huawei Store Brasil e, afirma que “A PAD Eletrônicos é uma das empresas do GRUPO ACTION que também é gestora da conceituada loja www.mistorebrasil.com”.

Como é possível notar, não vai ser fácil encontrar os responsáveis pela loja e, consequentemente, pelo prejuízo de centenas, talvez milhares, de clientes. As próprias vítimas estão se unido em grupos de Telegram para se apoiarem e encontrarem novas informações. Porém, os crimes digitais ainda são subestimados no Brasil e, infelizmente, esse caso deve demorar para ter um desfecho. Lembrando ainda que o site oficial de vendas da Xiaomi possui o domínio ” https://xiaomi.distribuidornacional.com.br/ “.

Via: Mobizoo

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Polícia MT

Mato Grosso

Política MT

Política Nacional

Economia

Mais Lidas da Semana