Mulher

Sem lugar, mãe precisa amamentar bebê no chão do trem e desabafa

Publicado

Sophie Molineux, de 22 anos, estava a caminho de Ludlow, na Inglaterra, juntamente com o companheiro, Rob Moore, de 25 anos, e o filho de um ano, Chester. A família, que não tem carro, escolheu o trem para ir até o local, mas o passeio não saiu como o planejado, principalmente quando a mulher precisou amamentar a criança.

Leia também: Comissária choca ao pedir que mãe se cubra para amamentar filha em voo

mãe precisa amamentar filho no chão do trem por ninguém oferecer lugar arrow-options
Reprodução/Daily Star

A jovem Sophie, de 22 anos, precisou se acomodar no chão do trem para amamentar o filho, Chester, de um ano


Eles entraram no trem por volta das 11h40 da manhã e o veículo estava com todos os 50 lugares ocupados. Com o filho no colo, Sophie imaginou que alguém cederia o lugar para ela, mas não foi o que aconteceu. Quando Chester sentiu fome, a jovem não teve alternativa senão sentar-se no chão para amamentar o bebê.

“Fiquei muito chocada. Estávamos parados no corredor para que as pessoas pudessem nos ver ali, mas ninguém se mexeu”, conta a mãe ao Daily Star . “Chester está em uma idade que, quando ele quer comer, apenas puxa minha blusa e era óbvio que aquele era um desses momentos de amamentá-lo”, explica.

A jovem diz que sentar no chão para amamentar a criança não era sua opção favorita, tampouco o lugar “mais bonito”, porém, ela não teve escolha. “Quando me sentei no chão, havia pessoas que passavam para ir ao banheiro e viam que eu estava amamentando, mas ninguém nos ofereceu um assento”, desabafa Sophie.

Leia também: Mãe se diz orgulhosa por amamentar filho de 4 anos e divide opiniões na web

“Era quase como se eles não quisessem chamar muita atenção para si porque não queriam me oferecer lugar”, acrescenta.

O casal afirma ter se revezado para segurar o filho pequeno, que não queria ficar no carrinho. Além disso, eles se mostraram surpresos com a atitude – ou falta de atitude – dos demais passageiros no transporte.

“Havia tantas pessoas capazes de se levantar naquele trem que fiquei surpresa quando chegamos com um bebê pequeno que não queria estar no carrinho e ninguém nos ofereceu um assento”, conta a mãe .

Acostumados a viajar sempre por meio de transporte público, o casal diz que essa é a primeira vez que isso acontece. “Estou amamentando há mais de um ano, faz parte de todos os dias e, quando saímos, nunca tive esse tipo de problema antes”, pontua a jovem.

Leia também: Mãe infértil consegue amamentar filha adotiva e celebra: “Realmente emocionante”

Eles garantem não ter pedido para ninguém ceder o lugar para Sophie amamentar o filho porque acreditaram que as pessoas se mobilizariam ao vê-la com o bebê no colo. “Eu estava mais preocupada com a segurança de Chester”, revela ela. “Espero que as pessoas possam ser um pouco mais atenciosas no futuro. Abrir mão do seu lugar para uma criança é bom senso”, finaliza.

Comentários Facebook
publicidade

Mulher

Dicas para o mês de novembro

Publicado

Separei algumas dicas para o mês de novembro, um roteiro que transita entre gastrônomia, música, dança, moda e marketing.

Tome nota e aproveite!

Peru Week 2019

Começa hoje (05) até 20 de novembro, em todo o Brasil, a Peru Week 2019, principal campanha de promoção do turismo e da gastronomia do Peru, que esta na 7ª edição e conta com a participação de 73 empresas, só em São Paulo. Para comer, 29 restaurantes especializados na culinária peruana localizados na capital paulista contam com pratos e valores que vão de R$ 47,90 a R$ 110,00 (menu degustação com drink de boas vindas, entrada, prato principal e sobremesa), durante os 16 dias de campanha. Já, para viajar, partindo de São Paulo, 44 operadoras de turismo da cidade tem ofertas para diversos perfis de roteiros, experiências e valores, promovem 88 pacotes de viagens com condições e valores imbatíveis, a partir de USD 499,00.

Leia também: Empreendedores contam como transformaram sonhos e propósito de vida em negócio

Perú Week arrow-options
Foto: Divulgação/PROMPERÚ

Perú Week

Comentários Facebook
Continue lendo

Mulher

Mulher quase fica cega ao tatuar delineador permanente nos olhos: “Dor imensa”

Publicado

Hannah Hopkins, de 37 anos, costuma viajar muito a trabalho e sempre pega voos nos primeiros horários da manhã. Por causa disso, a britânica, que mora em Oxford, Inglaterra, decidiu tatuar o traço do delineador nas pálpebras, afirmando que facilitaria na hora das viagens. A maquiagem permamente, porém, não saiu como ela esperava.

Leia também: Quase destruí meu rosto”, diz jovem que gastou R$2,2 milhões em plásticas”

Hannah com os olhos machucados arrow-options
Reprodução/Daily Mail

Hannah queria fazer um delineador permanente, mas o resultado não saiu como ela queria e seus olhos ficaram machucados

Ao Daily Mail , Hannah conta que se sentia muito pressionada para ter uma boa aparência a qualquer hora do dia e o delineador permanente a ajudaria com isso. Além desse procedimento, ela também esperava fazer micropigmentação nos lábios.

Mesmo tendo feito uma “extensa pesquisa” para encontrar um profissional capacitado, ela diz que a primeira impressão não foi das melhores. O responsável pelo procedimento chegou 30 minutos atrasado, a chamou diversas vezes pelo nome errado e não fez uma checagem de seus olhos e lábios antes de começar a maquiagem permanente 

Hannah, que é cega de um olho, pediu para que a mulher tomasse cuidado ao tatuar a pálpebra direita, cujo olho é artificial. A responsável pelo procedimento aplicou, então, um gel gelado sobre as pálpebras da mulher e não permitiu que ela visse um esboço do delineado — o que ela sentiu como outro sinal de que o procedimento não estava acontecendo como deveria.

Segundo ela, o gel aplicado era um anestésico e a profissional explicou que Hannah poderia ficar cega se abrisse os olhos  , informação que não havia sido passada para a paciente. 

Leia também: Após erro de manicure, dedo de mulher incha, fica preto e quase é amputado

Fazer a tatuagem foi como “um filme de terror”

“Assim que ela começou a tatuar, senti uma dor imensa. Tudo o que podia ouvir era a agilha na máquina a milímetros dos meus olhos. Senti como se estivesse em um filme de terror”, lembra Hannah.  “Eu estou acostumara com a dor, porque ja fiz tratamentos estéticos antes, mas essa dor era diferente. Ela continuava limpando meu olhos com lenços, o que eu descobri depois que era porque meus olhos estavam sangrando muito.” 

“Eu pedi que ela parasse porque a dor estava demais e tentei me afastar, mas ela continuava pressionando meu rosto para baixo. Por causa disso, ela puxou minha pápebra direita, o que a deixou deformada”, continua. 

A britânica ainda conta que a mulher lhe disse para “aceitar” a dor e “parar de agir como um bebê”, além de afirmar que não pararia até ter terminado os dois olhos. 

Leia também: 4 casos de preenchimento labial que deram errado e servem de alerta

Resultado inesperado

Hannah ficou chocada quanto se olhou no espelho e viu seus olhos cobertos de sangue e bem inchados, as pálpebras pareciam ter sido “cortadas”. Se não fosse o bastante, ela diz que o traço do delineador permanente também não era como ela queria e um estava diferente do outro. 

Hannah após o tratamento arrow-options
Reprodução/Daily Mail

Hannah está passando por sessões de remoção de tatuagem após o erro no procedimento

Ela discutiu com a mulher que fez o procedimento, que afirmou que o inchaço iria desaparecer e tentou aplicar corretivo nas feridas para escondê-las.

Então, saiu da clínica sem pagar e “com muita dor” direto para o pronto socorro de um hospital próximo de onde mora. 

Segundo os médicos, os “cortes” nas pálpebras provavelmente aconteceram porque Hannah tem “o tipo errado de pálpebra para esse tratamento”, afirmando que a responsável deveria ter parado a tatuagem assim que o sangramento começou. 

Depois da experiência, Hannah afirma que foi diagnosticada com estresse pós-traumático.

Ela denunciou a responsável pelo procedimento por lesão corporal e ganhou a causa na justiça da Inglaterra, especialmente após descobrir que a mulher não tinha licença, mas não recebeu o dinheiro do processo.

Agora, ela está pagando 650 libras esterlinas (cerca de R$3345) em cada sessão de remoção do delineador permanente. No total, ela precisará de 10 sessões e, após isso, poderá fazer um tratamento para o dano que teve nos olhos. 

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana