Policia Federal

PF desarticula grupo criminoso responsável por fraudes em licitações e contratos na Paraíba

Publicado

Campina Grande/PB – A Polícia Federal deflagrou hoje (22/8), em conjunto com a Controladoria-Geral da União – CGU/PB e com o Ministério Público Federal – MPF/PB, a segunda fase da Operação Famintos, para combater fraudes em licitações, superfaturamento de contratos administrativos, corrupção e organização criminosa, na Paraíba.

 A operação contou com a participação de 60 policiais federais, sendo realizado o cumprimento de 14 mandados de busca e apreensão,  em residências, escritórios e empresas dos investigados, bem como de 8 mandados de prisão, sendo 5  mandados de prisão temporária e 3 mandados de prisão preventiva.  Todos os mandados foram cumpridos na cidade de Campina Grande/PB. As ordens foram expedidas pela Justiça Federal de Campina Grande/PB.

 ENTENDA O CASO

 A primeira fase da Operação Famintos foi deflagrada no dia 24/7/2019, tendo contado com a participação de 260 policiais federais e 16 auditores da CGU. Na ocasião, foram cumpridos 67  mandados de busca e apreensão, em órgãos públicos e nas residências, escritórios e empresas dos investigados, bem como de 17 mandados de prisão.

 Esta segunda etapa da Operação visa ampliar a desarticulação do núcleo empresarial da organização criminosa, responsável pela criação de “empresas de fachada”, utilizando-se de pessoas que tinham consciência de suas situações na condição de “laranjas”. As empresas, então constituídas em nome de pessoas que não eram as reais proprietárias e administradoras, eram utilizadas pelos criminosos para fraudar as licitações, conferindo um falso caráter competitivo aos processos licitatórios.

 CRIMES INVESTIGADOS

Os investigados responderão, de acordo com suas condutas, pelos crimes de fraudes em licitação, superfaturamento de contratos, corrupção e organização criminosa, cuja pena, somada, poderá ultrapassar 20 (vinte) anos de reclusão.

 COLETIVA DE IMPRENSA

Será concedida entrevista coletiva às 10hs, na Delegacia da Polícia Federal em Campina Grande/PB, com participação dos três Órgãos envolvidos nos trabalhos (PF, MPF e CGU).

 

 

Contato: (83) 3269-9422

 

 

NOME DA OPERAÇÃO

O nome da operação FAMINTOS é uma alusão à voracidade demonstrada pelos investigados em direcionar as contratações para o grupo criminoso.

 

Comentários Facebook
publicidade

Policia Federal

PF combate invasão de terras da União

Publicado

Porto Velho/RO – A Polícia Federal deflagrou na terça-feira (15/10) a Operação Padre Ezequiel, com o objetivo de reintegrar a posse de terras do assentamento Padre Ezequiel, no município Mirante da Serra/RO. A operação contou com a atuação conjunta de diversos órgãos. Além da PF, atuaram a PM do estado de Rondônia, o Incra, servidores da Justiça Federal entre outros.

De acordo com o que consta em processo que tramita na Vara Federal de Ji-Paraná/RO, o assentamento é objeto de invasão realizada por indivíduos que, após o desmatamento da área, promoviam o loteamento e comercialização da terra.

A operação de hoje faz parte de um conjunto de ações da PF com foco no combate ao desmatamento e invasões de terras pertencentes à União.

 

Fone: (69) 3216-6242 / 6270
E-mail: [email protected]

Comentários Facebook
Continue lendo

Policia Federal

PF combate fraudes e apura desvios de recursos públicos no RN

Publicado

Natal/RN – A Polícia Federal deflagrou nesta segunda-feira (4/11), na Região Metropolitana de Natal, a Operação Boca da Mata destinada a apurar fraudes a dispensas em licitações e desvio de recursos públicos ocorridos no município de Ceará-Mirim/RN.

Cerca de 30 policiais federais cumprem seis mandados judiciais de busca e apreensão expedidos pela 15ª Vara Federal.

A ação é um desdobramento da operação Guaraíras, deflagrada em setembro do ano passado, e que apurou o surgimento de indícios de fraude na contratação do serviço de transporte por parte da prefeitura daquela cidade.

As diligências de hoje visam reunir provas dos fatos sob investigação e esclarecer se houve pagamento de vantagem indevida a servidores públicos.

De acordo com o que foi apurado nos levantamentos feitos desde 2018, restou demonstrado ter acontecido ajuste indevido para a contratação do serviço de transporte escolar e de saúde no citado município.

(*) O nome da operação é uma referência a cidade onde teriam ocorrido os fatos sob suspeita.

 

                            

                               Comunicação Social da Polícia Federal no Rio Grande do Norte

                                                                                        [email protected] | @pfnorn | www.pf.gov.br

                                                                                                            (84) 3204.5588

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana